As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Diplomata brasileiro é o representante permanente da CPLP em Bissau
- 18-May-2005 - 14:45


O diplomata brasileiro Carlos Alves Moura foi designado representante permanente da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Guiné-Bissau, para onde seguirá "muito brevemente", revelou o secretário-executivo da organização.


Luís Fonseca adiantou que a viagem de Carlos Moura está a ser preparada, estando previsto que chegue a Bissau antes das eleições presidenciais previstas para 19 de Junho.

O objectivo da colocação em Bissau de um representante permanente da CPLP é, segundo o responsável, ajudar as autoridades guineenses no processo de normalização democrática do país.

A Guiné-Bissau está a atravessar uma nova crise desde domingo, quando o ex-chefe de Estado Kumba Ialá se auto-proclamou presidente da República.

O secretário-executivo da comunidade lusófona precisou que o mandato do representante permanente será de um ano, com possibilidade de ser prorrogado.

"Pensamos que um ano será suficiente para que o representante cumpra a sua missão" de ajudar as autoridades guineenses, afirmou Luís Fonseca, referindo, no entanto, que, caso seja necessário, o mandato pode ser prorrogado.

Carlos Alves Moura tem 65 anos, é licenciado em Direito e ocupa actualmente o cargo de secretário-executivo da Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Foi fundador e director da Casa de África no Brasil e participou em vários debates no âmbito da CPLP.

Representante do Brasil em negociações para a criação da organização, Carlos Moura participou, nomeadamente, na primeira reunião de Chefes de Estado e de Governo dos Países de Língua Portuguesa, em 1989, altura em que foi criado o Instituto Internacional de Língua Portuguesa, em São Luís do Maranhão, Brasil.

Entre 1990 e 1995 foi director do Centro de Estudos Brasileiros da Embaixada do Brasil na Cidade da Praia, Cabo Verde.

O diplomata brasileiro foi ainda fundador do Instituto de Cultura dos Povos Negros, com sede no Burkina Faso.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem