As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Abubacar Baldé abandona corrida eleitoral e denuncia fraude
- 30-May-2005 - 18:06


O candidato Abubacar Baldé anandonou a corrida às presidenciais de 19 de Junho próximo na Guiné-Bissau, alegando que todo o processo eleitoral "está eivado de vícios e irregularidades" e não existem "garantias de transparência".


Numa carta dirigida à presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) guineense, Maria do Céu Monteiro, a que a Agência Lusa teve acesso, Baldé, também líder da União Nacional para a Democracia e Progresso (UNDP) sublinha que as presidenciais "já estão antecipadamente ganhas por um candidato fabricado por fora".

Abubacar Baldé, sem apontar o nome do candidato em causa, alude a Malam Bacai Sanhá, apoiado pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC, no poder) e que alegadamente tem a ajuda de Portugal, tal como referem dirigentes da oposição.

A UNDP integra o "Fórum" das três forças políticas da oposição extra-parlamentar que têm juntado as suas vozes às críticas feitas pelo Partido da Renovação Social (PRS, que apoia Kumba Ialá) ao modo como está a decorrer o processo eleitoral, nomeadamente a questão do recenseamento.

Além do PRS e da UNDP, o Fórum congrega também a Resistência da Guiné-Bissau /RGB), de Salvador Tchongó, igualmente candidato presidencial, e o Partido Democrático Socialista de Salvação da Guiné-Bissau (PDSSG, de Serifo Baldé).

"O candidato (Abubacar Baldé) desiste da sua candidatura às eleições presidenciais (à) porque o processo de recenseamento está eivado de vícios de omissões deliberadas de nomes de eleitores, irregularidades e ilicitudes que não oferecem garantias políticas e jurídicas de liberdade, transparência e justeza do resultado do escrutínio", lê-se na carta dirigida à presidente do STJ.

"A UNDP tem muitas razões para demonstrar que estas eleições presidenciais já estão antecipadamente ganhas por um candidato fabricado de fora e que será, pura e simplesmente, proclamado" chefe de Estado, conclui Abubacar Baldé, antigo ministro das Pescas e do Interior em governos do PAIGC antes do conflito militar de 1998/99.

Economista, o antigo militante do PAIGC, tal como muitos outros dirigentes políticos da oposição, formou a UNDP em 1998 e foi um dos 12 candidatos às eleições presidenciais de 1999/2000, votação em que obteve o quinto lugar, ao recolher 20.192 votos, o que corresponde a 5,44 por cento.

Nas legislativas de Novembro de 1999, Abubacar Baldé foi eleito como o único deputado da UNDP pelo sector de Sonaco, na região de Gabu, leste da Guiné-Bissau.

Trata-se da segunda desistência de um candidato às presidenciais de Junho, mas a primeira de um concorrente que não indica em quem vai votar.

A primeira ocorreu um dia antes do início da campanha eleitoral, que começou sábado último, quando o líder do Partido da Solidariedade e Trabalho (PST), Iancuba Indjai, anunciou que desistia a favor de Bacai Sanhá.

Na ocasião, Iancuba Indjai considerou que o candidato do PAIGC é o que melhor serve os interesses da Guiné-Bissau e justificou o seu abandono pelo excesso de concorrentes à votação que, na altura, eram 17.

Desta forma, a menos de três semanas das presidenciais, o total de candidatos é agora de 15, embora haja indicações de que, ao longo desta semana, outros concorrentes poderão também desistir.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem