As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Primeira semana de campanha eleitoral marcada por desistências
- 4-Jun-2005 - 15:10


A primeira semana da campanha das eleições presidenciais agendadas para dia 19 na Guiné-Bissau, que decorreu num ambiente morno, ficou marcada por quatro desistências de outros tantos candidatos e pelo regresso definitivo ao país do ex-presidente "Nino" Vieira.


Dos 17 candidatos que se apresentavam oficialmente à votação, apenas 13 vão entrar na segunda semana de iniciativas, pois um abdicou precisamente na véspera do início da campanha a favor de outro, enquanto já no decorrer do período oficial da "caça ao voto" dois outros desistiram alegando vícios e irregularidades no processo eleitoral.

Iancuba Indjai, líder do Partido da Solidariedade e Trabalho, abdicou a favor do candidato do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC, no poder), Malam Bacai Sanhá, enquanto Salvador Tchongó e Abubacar Baldé, presidentes da Resistência da Guiné- Bissau e da União Nacional para a Democracia e Progresso (UNDP), respectivamente, desistiram.

O líder do Partido para o Progresso (PP), Ibraima Sow, acabou por abdicar a favor da candidatura independente de João Bernardo "Nino" Vieira, que regressou a 01 deste mês definitivamente a Bissau, após seis anos de exílio em Portugal.

Até ao fim da campanha, que termina a 17 deste mês, prevêem-se mais desistências, pois os principais candidatos têm-se desdobrado em contactos com outros para "negociar" apoios.

O regresso do ex-presidente, concretizado já no quinto dia da campanha, foi talvez o ponto mais alto de toda a semana, pois conseguiu reunir mais de 20.000 pessoas à chegada de "Nino" Vieira, num cortejo que foi aumentando ao longo dos cerca de oito quilómetros que ligam o aeroporto de Bissau ao centro da cidade.

Pela negativa, Kumba Ialá, apoiado pela força política que ajudou a fundar em 1992 e que hoje é a maior da oposição, o Partido da Renovação Social (PRS), começou a sua campanha eleitoral há precisamente uma semana e, após umas breves declarações aos jornalistas, percorreu, de carro, as principais artérias e bairros de Bissau, tendo sido pouco aplaudido e bastante vaiado.

Por seu lado, Malam Bacai Sanhá começou a sua campanha em Gabu, 200 quilómetros a leste de Bissau, com um comício que encheu a segunda maior cidade do país e onde os apelos ao voto no candidato do PAIGC têm sido constantes.

Francisco Fadul, também líder do Partido Unido Social- Democrata (PUSD), tem percorrido a leste e o norte da Guiné-Bissau, de onde é originário, com um discurso de Estado, apelando à paz e à estabilidade.

E são precisamente os apelos à paz e à estabilidade que têm centrado todos os discursos, quer dos quatro principais candidatos quer dos restantes nove, reforçando a ideia expressa num gigantesco cartaz exposto na principal praça de Bissau, a dos Heróis Nacionais, pelo auto-intitulado Grupo de Cidadãos de Boa Vontade: "Senhor candidato, não utilize linguagem inflamatória, difamatória, tribal, regionalista ou religiosa".

Em Bissau, os sinais de campanha começam, aos poucos, a notar- se um pouco por toda a cidade, com os espaços existentes a serem ocupados por cartazes com apelos ao voto, mas sempre sem grande interesse da população, mais preocupada com o recente aumento significativo do preço do arroz, a principal dieta alimentar dos guineenses.

Os grandes meios de campanha ainda estão por chegar e as várias candidaturas prometem que as próximas duas semanas serão "muito diferentes" da primeira, alegando que as arestas estão ainda a ser limadas e que, a partir de agora, será "em força".

Contudo, a desorganização continua a ser uma constante, sobretudo entre os candidatos menos conhecidos, pois ainda são poucas as informações sobre as iniciativas previstas para as duas semanas de campanha em falta.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem