As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Membro fundador do PRS afasta-se de Kumba e apoia «Nino»
- 6-Jun-2005 - 21:15


José de Pina, membro fundador do Partido da Renovação Social (PRS) e ex-amigo pessoal do antigo presidente guineense Kumba Ialá, anunciou hoje que vai apoiar a candidatura de "Nino" Vieira às presidenciais do próximo dia 19.


José de Pina, antigo ministro da Presidência do Conselho de Ministros, da Comunicação Social e da Saúde e que foi ainda porta-voz de vários governos de Kumba Ialá, afirmou que tanto o ex-presidente como o PRS já não representam os valores que motivaram a fundação do partido.

"Kumba Ialá e os seus acólitos já não representam os valores da justiça e da transparência que levaram à fundação do PRS. Kumba Ialá e o PRS são factores de divisão dos guineenses", disse José de Pina, tido, em tempos, como um dos "ideólogos" do +kumbismo+, nome pelo qual ficou conhecida a fase de governação do ex-chefe de Estado guineense.

"De há uns anos a esta parte, o PRS tornou-se um partido incendiário, pueril e reles, que não coaduna com os princípios e laços de solidariedade existentes entre os povos guineenses", considerou, sustentando que Kumba Ialá "é um homem que nega os factos positivos da vida".

Segundo José de Pina, durante o percurso da edificação do poder do PRS, Kumba Ialá "postergou os princípios da República, pondo o Estado e os seus instrumentos no chão".

"Eu não posso, de forma alguma, apoiar um candidato com esse tipo de atitudes", justificou José de Pina, conhecido no país por "Dutchy".

Em Março último, na reunião do Conselho Nacional do PRS em que Kumba Ialá foi eleito como o candidato oficial do maior partido da oposição guineense, José de Pina foi um dos derrotados na votação.

Pouco depois de se conhecerem os resultados dessa votação, José de Pina admitiu a derrota, mas lançou sérias críticas e avisos ao partido para mudar de atitude perante a sociedade guineense, sob pena de perder credibilidade.

Por este motivo, José de Pina decidiu agora apoiar a candidatura de "Nino" Vieira, personalidade que considera ser um "lutador pela causa da independência e da unidade" dos guineenses.

Questionado sobre quando é que deixa de ser, de facto, militante do PRS, José de Pina prometeu que, brevemente, vai endereçar uma carta de renúncia à sua condição de militante do partido.

"De há uns anos a esta parte, o PRS tornou-se um partido incendiário, pueril e reles, que não coaduna com os princípios e laços de solidariedade existentes entre os povos guineenses", considerou.

O auto-afastamento de José de Pina constitui a segunda "baixa de vulto" nas hostes de Kumba Ialá, uma vez que, domingo, Botché Candé, deputado e ex-ministro do Comércio, anunciou o apoio a Malam Bacai Sanhá, candidato do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).

Botché Candé, que também já desempenhou as importantes funções de conselheiro para os Assuntos Religiosos de Kumba Ialá, é tido como homem influente junto da comunidade Fula, que constitui um dos principais na grupos étnicos do país e que se concentra maioritariamente no leste da Guiné-Bissau.

Na sua campanha eleitoral, Kumba Ialá tem percorrido o país sem a grande maioria de dirigentes quer do PRS quer do Movimento Kumba a Presidente, organização da sociedade civil que apoia o regresso do ex-presidente ao poder.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem