As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Inaugurado Centro Nacional de Reabilitação de Deficientes
- 13-Feb-2003 - 20:07

Cabo Verde dispõe a partir de hoje de um Centro Nacional de Reabilitação de Deficientes (CNRD), construído na Cidade da Praia por iniciativa de duas instituições de intervenção na área da deficiência.


O edifício, que ainda não está equipado, localiza-se num terreno de 1.580 metros quadrados cedido gratuitamente pela Câmara Municipal da Praia na zona da Achada de São Filipe, estando os seus três pisos dimensionados para receber os diferentes serviços do CNRD.

No primeiro piso localizam-se o Núcleo Ortopédico e de Reeducação Funcional, o segundo acolhe a cantina, as cozinhas, salas de aula e a sede social da Associação de Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC).

O terceiro piso engloba um anfiteatro, um ginásio, salas de aula e dormitórios.

O CNRD é a primeira estrutura do género construída em Cabo Verde, facto salientado pelo presidente da Associação Cabo-verdiana de Deficientes (ACD), que destacou igualmente as vantagens "económicas, financeiras e sociais que o centro irá trazer".

David Cardoso referiu-se aos custos elevados que implica o tratamento de deficientes no estrangeiro, aliados aos gastos com equipamentos de correcção.

"A entrada em funcionamento do CNRD irá ajudar a resolver estas questões", sublinhou.

O centro não dispõe ainda dos equipamentos necessários ao seu funcionamento mas o responsável da ACD garantiu que "todos os passos estão a ser dados" no sentido de se conseguirem os meios humanos e materiais para que possa desempenhar o seu papel.

Assim, adiantou, "o projecto para a aquisição dos equipamentos e a formação do pessoal técnico necessário já foi entregue a vários parceiros internacionais, designadamente à ONG Handicap Internacional, da Bélgica".

De acordo com David Cardoso, também foi solicitada a ajuda de instituições da cooperação francesa, à ONG alemã ASB, à Cruz Vermelha Internacional, e à LyonÈs Club de França, que "demonstraram interesse em apoiar o projecto".

O presidente da ACD garantiu, no entanto, que os promotores do CNRD "não ficarão à espera das ajudas que possam vir" e expôs um quadro de "funcionamento sustentado do projecto, através do desenvolvimento de algumas actividades geradoras de rendimentos".

Nesse sentido, vai ser instalado um "cibercafé" e uma unidade de produção de velas de decoração, além de outros serviços, como um pequeno estabelecimento de restauração, uma reprografia e leccionados cursos de informática, destinados não só aos deficientes, mas também à população da zona da Achada São Filipe, onde o centro se localiza.

A inauguração do CNRD foi presidida pelo primeiro-ministro cabo-verdiano que enalteceu a iniciativa da ACD e da ADEVIC como "um exemplo daquilo que a sociedade pode, por si, fazer a favor do seu próprio desenvolvimento e afirmação".

José Maria Neves acrescentou que, "independentemente dos apoios recebidos, pode afirmar-se sem paternalismo que a obra das duas associações pertence-lhes por direito, não obstante ter uma verdadeira vocação de abrangência social".

O chefe do executivo referiu que há "todo o empenho do governo" no sentido de apoiar o centro e, de uma forma geral, os deficientes cabo-verdianos, adiantando que "está em preparação uma Carta Social que dará uma atenção especial aos portadores de deficiência".

José Maria Neves anunciou para breve a revisão do Código do Trabalho, que "terá como uma das suas principais preocupações a inclusão de um capítulo especificamente dedicado à facilitação da integração no mundo laboral dos cidadãos portadores de deficiência".

De acordo com os resultados do Censo realizado em 2000, existem em Cabo Verde 7.183 deficientes motores, que representam 56 por cento da população portadora de deficiência.

O Centro Nacional de Reabilitação de Deficientes hoje inaugurado resulta do empenho da Associação de Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC) e da Associação Cabo-verdiana de Deficientes.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem