As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Cabo Verde atribui Ordem Amílcar Cabral a dois nacionalistas angolanos
- 21-Sep-2005 - 13:42


O governo de Cabo Verde distinguiu os nacionalistas angolanos Lúcio Lara e Mendes de Carvalho com a Ordem Amílcar Cabral, a mais alta distinção do país, como reconhecimento pelo seu contributo na luta pela independência nacional.


"Esta é uma homenagem a dois grandes homens, que atravessaram as fronteiras do seu país e conquistaram a simpatia do povo cabo- verdiano", afirmou Silvino da Luz, embaixador de Cabo Verde em Angola, na cerimónia de entrega das condecorações.

A cerimónia, que decorreu terça-feira à noite na Assembleia Nacional, contou com a presença de dirigentes políticos, membros do governo, elementos do corpo diplomático acreditado em Luanda e representantes de igrejas e organizações da sociedade civil.

Para o embaixador Silvino da Luz, "a atribuição da mais alta condecoração de Cabo Verde é o reconhecimento do papel relevante desempenhado por Lúcio Lara e Mendes de Carvalho na defesa da pátria e dos valores de Cabo Verde".

Na cerimónia, integrada nas comemorações do 30/0 aniversário da independência de Cabo Verde, assinalado a 05 de Julho, o ministro angolano dos Antigos Combatentes e Veteranos de Guerra, José Pedro Van- Dúnem, também destacou o papel desempenhado pelos dois nacionalistas angolanos na luta pela liberdade e pela independência nacional.

"Esta homenagem constitui um reconhecimento do governo e do povo cabo-verdiano do papel desempenhados por estes dois nossos compatriotas, que tudo deram pela libertação dos países africanos na sua luta comum pela independência", afirmou.

Numa breve intervenção que proferiu na cerimónia, Mendes de Carvalho afirmou sentir-se "pequeno" perante esta homenagem, que dedicou ao povo angolano.

"Tenho consciência de que sou pequeno para receber esta grande homenagem, cujo sentido é agradecer ao povo angolano a sua luta pela liberdade. Eu sou apenas o veículo através do qual essa vontade se expressa", frisou.

Por seu lado, Paulo Lara, que falou em nome do seu pai, destacou o facto desta condecoração ter o nome de "uma das figuras mais destacadas do nacionalismo africano.

"É simbolicamente agradável ser agraciado com a Ordem Amílcar Cabral, uma das figuras mais proeminentes do nacionalismo africano", afirmou.

Agostinho Mendes de Carvalho, actualmente com 80 anos, continua a exercer activamente as funções de deputado na Assembleia Nacional de Angola, para onde foi eleito nas listas do MPLA.

Durante o período de luta contra o colonialismo português, Mendes de Carvalho foi preso e desterrado para a cadeia do Tarrafal, no arquipélago de Cabo Verde.

Depois da independência de Angola, desempenhou vários cargos políticos, entre os quais os de ministro da Saúde e de governador da província de Luanda.

Lúcio Lara, também com 80 anos, sofre de problemas de saúde que o levaram a afastar-se da vida pública, tendo abandonado o seu lugar de deputado no parlamento angolano, para o qual foi eleito nas listas do MPLA.

No período colonial, Lúcio Lara foi um dos destacados estudantes angolanos em Portugal, onde integrou as fileiras do MPLA ao lado de Agostinho Neto, que se tornou o primeiro presidente de Angola depois da independência do país, em Novembro de 1975.

Na sequência da morte de Agostinho Neto, coube a Lúcio Lara dar posse a José Eduardo dos Santos como Presidente da República, numa cerimónia realizada há precisamente 26 anos, a 21 de Setembro de 1979.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem