As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
«Fórum da Defesa da CPLP tem enorme riqueza política»
- 26-Oct-2005 - 16:01


O ministro da Defesa português, Luís Amado, considerou hoje de "uma enorme riqueza política" o Fórum da Defesa da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) que quinta- feira se inicia na capital moçambicana, Maputo.


"O Fórum é de uma enorme riqueza do ponto de vista de conteúdo político e de troca de informações e de experiências", disse Luís Amado à sua chegada à capital moçambicana.

Na reunião de dois dias apenas o Brasil não se fará representar, estando asseguradas as presenças dos ministros de Angola (Kundi Paihama), Cabo Verde (Armindo Maurício), Guiné-Bissau (Martinho Dafa Cabi), Moçambique (Tobias Dai), Portugal (Luís Amado), São Tomé e Príncipe (Óscar do Sacramento e Sousa) e Timor-Leste (Roque Rodrigues).

"No tempo da globalização, as questões da Defesa e Segurança são questões globais em que nenhum Estado por si só está em condições de as garantir", acrescentou o ministro português, que recordou a diversidade dos participantes no Fórum, que inclui representantes dos continentes africano asiático e europeu.

Luís Amado vai manter hoje uma reunião como o seu homólogo moçambicano, Tobias Dai, para análise de questões bilaterais, entre as quais a cooperação militar portuguesa, bastante forte em Moçambique.

Nas declarações aos jornalistas, o ministro da Defesa português voltou a expressar dúvidas sobre a sustentabilidade do fundo dos ex-combatentes, "apenas com receitas provenientes do património das Forças Armadas" e disse ser necessário garantir essa situação.

Falando na terça-feira na Assembleia da República, Luís Amado anunciou a intenção de "repensar as condições de financiamento" daquele fundo, que disse ser insustentável a prazo e acusando o anterior governo de "não ter posto um euro" no fundo.

"Limitei-me a levantar um problema que tem a ver, sobretudo, com a sustentabilidade a médio prazo do fundo dos ex-combatentes", disse o ministro.

"É insustentável o fundo dos ex-combatentes ao longo das próximas duas décadas, no mínimo, recorrendo apenas a receitas provenientes do património das Forças Armadas", acrescentou Luís Amado.

Afirmando que nenhuma decisão foi tomada sobre a limitação do complemento especial de pensão para os ex-combatentes em África, o ministro português acrescentou que é necessário encontrar uma solução para a viabilidade do fundo.

"Há um consenso em relação à lei que foi aprovada e ao sistema de incentivo nela previsto. Agora é preciso garantir a sua sustentabilidade", disse.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem