As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Sem comemorações 25º aniversário golpe que levou Nino ao poder
- 14-Nov-2005 - 17:51


O 25º aniversário do golpe de Estado que levou o actual presidente guineense ao poder, a 14 de Novembro de 1980, não é objecto de qualquer celebração ou comemoração, disse uma fonte da Presidência da Guiné-Bissau.


A fonte não adiantou as razões da inexistência de comemorações oficiais da efeméride que, até 1997, se celebrava com pompa e circunstância e era dia feriado.

Naquela data, João Bernardo "Nino" Vieira liderou um golpe militar das então Forças Armadas Revolucionários do Povo (FARP), que depôs o regime do presidente Luís Cabral.

Conhecido no país como o "Movimento Reajustador", o golpe militar foi o primeiro registado no país, que declarou unilateralmente a independência de Portugal a 24 de Setembro de 1973, e marcou também a da unidade entre a Guiné-Bissau e Cabo Verde.

"Nino" Vieira assumiu o poder tornando-se o segundo presidente da Guiné-Bissau, onde se manteve num regime monopartidário, com base no Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), até às primeiras eleições gerais pluralistas realizadas em 1994.

"Nino" Vieira venceu as presidenciais de então e manteve-se no poder até 1999, sendo afastado no final dos 11 meses do conflito militar que assolou o país entre 7 de Junho de 1998 e 7 de Maio do ano seguinte.

Após um exílio de seis anos em Portugal, "Nino" Vieira regressou em Abril último à Guiné-Bissau, tendo apresentado a sua candidatura, como independente, às presidenciais de Junho e Julho deste ano, que viria também a vencer.

Mês e meio depois, a efeméride não se celebra, tratando-se da primeira vez que tal acontece com "Nino" Vieira no poder.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem