As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
China financia barragem em Cabo Verde
- 30-Oct-2002 - 14:54

O Governo chinês vai financiar e construir em Cabo Verde uma barragem no valor de dois milhões de euros, com capacidade para captar e armazenar 1,3 milhões de metros cúbicos de águas pluviais.

O protocolo que formaliza o compromisso foi assinado terça-feira na Cidade da Praia, entre a ministra dos negócios estrangeiros e comunidade do arquipélago, Fátima Veiga, e o vice- ministro chinês do comércio externo e da cooperação económica, Chen Jiang.

A citada barragem, que será construída na bacia hidrográfica de Ribeira Seca, no interior da ilha de Santiago, será a mais importante infra-estrutura hidráulica do país, prevendo-se que venha a irrigar directamente 300 hectares de terreno.

Os seus benefícios, directos ou indirectos, deverão incidir sobre a vida de mais de 30 mil pessoas, que constituem a população total da bacia, uma vez que a concentração da água permitirá alimentar vários lençóis freáticos de localidades mais distantes da barragem.

O apoio da República Popular da China não se limitará ao financiamento da infra-estrutura. Este aspecto foi destacado pela ministra cabo-verdiana na assinatura do acordo, que prevê uma assistência técnica chinesa pós-construção, «de modo a maximizar a exploração da barragem».

O documento hoje assinado também inclui outras vertentes de cooperação. Uma delas é a concessão a Cabo Verde, pelo governo chinês, de um empréstimo sem juros, de cerca de 1,2 milhões de euros, que serão canalizados para o financiamento de projectos de desenvolvimento.

Fátima Veiga valorizou, em nome do governo do arquipélago, a ajuda chinesa, considerando que foi dado «mais um passo importante para a consolidação da cooperação entre os dois países», que reputou de excelente.

O vice-ministro chinês expressou idêntico entendimento, adiantando que, para o seu governo, «trata-se de ajudar de forma efectiva, um país que sempre se mostrou muito amigo e que merece o apoio que lhe tem sido prestado».

A missão chinesa a Cabo Verde teve também uma vertente empresarial, corporizada por operadores chineses, tanto estatais como privados, que buscam, com a presente visita, formas de investir no país.

Pescas, indústria, têxteis, combustíveis e electrónica são algumas das áreas já identificadas nos contactos havidos entre os empresários chineses e operadores cabo-verdianos, por um lado, e entre aqueles e o governo, por outro.

Para já, a construção de uma cimenteira de capitais chineses em Cabo Verde é quase uma certeza, segundo o vice-presidente da China Building-Material Industrial Corporation (CBMC), uma empresa estatal que trabalha em diversos ramos de produção de material de construção.

Yang de Shang acrescentou que a empresa a construir estará vocacionada essencialmente para a exportação de cimento, tendo em conta a sua dimensão e a pequenez do mercado cabo- verdiano.

Aquele responsável aponta principalmente para o mercado da Comunidade Económica dos Estados da África do Oeste (CEDEAO), um destino potencial de cerca de 200 milhões de consumidores.

Yang de Shang não precisou os montantes do investimento a realizar, com recurso ao Bank Of China, mas previu que se tratará de um empreendimento de dezenas de milhões de euros.

Outra grande empresa chinesa, que integrou a missão a Cabo Verde, é a China National Oil Exploration and Development Corporation (CNPC-CNODC), que já fez contactos com as autoridades do arquipélago e com as empresas de combustíveis instaladas no país, a SHELL e a ENACOL, para além da ENAPOR, empresa nacional de portos.

O objectivo é também identificar projectos que interessem ao operador chinês, e segundo um dos seus responsáveis, Quian Mingyang, «há ideias que começaram a ser exploradas para futura parceria».

O vice-ministro chinês do comércio externo e da cooperação económicas, Chen Jiang, que chefiou a delegação, teve hoje encontros de trabalho com diversas entidades estatais cabo- verdianos, tendo sido recebido igualmente pelo Presidente da República e pelo primeiro-ministro do arquipélago.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem