Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em toda a Lusofonia
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Brasil
Cinco milhões de netos de emigrantes podem tornar-se portugueses
- 17-Feb-2006 - 22:22


Um dos conselheiros das comunidades portuguesas no Brasil estimou hoje que perto de cinco milhões de netos de emigrantes portugueses residentes naquele país podem vir adquirir a nacionalidade portuguesa no âmbito da nova lei.


A Lei da Nacionalidade aprovada quinta-feira no Parlamento vai permitir que os netos de portugueses nascidos no estrangeiro possam adquirir a nacionalidade portuguesa, um privilégio que se destina essencialmente aos descendentes de emigrantes que vivem no Brasil e em outros países da América Latina, onde a emigração é mais antiga.

António de Almeida e Silva, ex-presidente do Conselho Permanente daquele órgão de consulta do Governo, disse à Agência Lusa que podem beneficiar da nova lei perto de cinco milhões de netos de emigrantes.

Uma estimativa baseada no actual número de portugueses a viver no Brasil, que emigraram para esse país na década 50 e que actualmente têm netos que podem tornar-se portugueses, adiantou o conselheiro.

Segundo António de Almeida e Silva, vivem no Brasil cerca de 800 mil portugueses, o que significa que "a quantidade de netos é imensa".

Congratulando-se com a aprovação da medida que permite dar a nacionalidade portuguesa à terceira geração, o conselheiro sublinhou que "é uma reivindicação antiga" das comunidades portuguesas.

"Vai reforçar os laços e o intercâmbio" e permitirá "uma melhor integração dos filhos e netos a Portugal", afirmou ao adiantar que o Conselho das Comunidades Portuguesas "já há muito tempo que luta por esta alteração".

A medida também foi aplaudida junto dos cerca de 400 mil portugueses que vivem na Venezuela, pois vai "favorecer os emigrantes, em particular as novas gerações", disse à Agência Lusa o presidente do Centro Português de Caracas, André Pita.

Para José Luís Ferreira, presidente da Câmara de Comércio e Turismo Luso-Venezuelana, a nova lei "é importante para a comunidade e uma forma de aproximar os luso-descendentes da terceira geração a Portugal e fazê-los sentir portugueses".

Os cerca de 12 mil emigrantes que vivem na Argentina também acolheram com agrado a nova lei, já que, segundo António Antunes Canas, conselheiro das comunidades naquele país, vai permitir que o número de portugueses aumente, embora não consiga precisar o número.

A medida vai beneficiar os portugueses que emigraram para a Argentina no início do Século XX, adiantou.

A anterior lei apenas permitia aos filhos dos emigrantes o direito à nacionalidade.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 
 
 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona design e programação NOVAimagem - Web design, alojamento de sites, SEO