As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Grupo Pestana aposta no turismo e em nova imagem para a capital
- 25-Mar-2003 - 20:22

O grupo empresarial português Pestana quer investir no turismo em Cabo Verde, tendo já apresentado vários projectos à autarquia da capital do país, a Câmara da Praia.


O grupo, que recentemente adquiriu o hotel Trópico, um dos dois com a categoria de quatro estrelas da capital cabo- verdiana, quer fazer obras de ampliação naquela instalação hoteleira e promover um empreendimento no ilhéu de Santa Maria, nas imediações da unidade.

Na sua reunião semanal, a Câmara Municipal da Praia procedeu hoje à análise prévia dos projectos do executivo, que se integram na estratégia de requalificação global da baía de Santa Maria, que abrange a Praia da Gamboa e a Praia Negra.

Na óptica do vereador José Maria Veiga, o projecto de requalificação da zona marginal, que poderá levar "três, quatro ou cinco anos" a concluir, irá alterar radicalmente a imagem da capital cabo-verdiana, "voltando-a para o mar".

Abrangerá a zona da Praia Negra, funcionando como a principal entrada da cidade, a partir da via rápida que liga ao aeroporto, e estendendo-se até ao final da Praia da Gamboa, junto ao hotel Trópico, e prolongando-se depois até à Praia de Quebra Canela.

A ideia é que a zona marginal fique livre de edifícios com impacto visual e se implante - segundo José Maria Veiga - "uma espécie de Praia by night", voltada para o turismo, com "construções precárias", desde Quebra Canela até à Praia Negra, com "um grande calçadão" (via para peões).

O projecto de requalificação para a zona da Praia Negra, que avançará ainda este ano, está estimado em 25 milhões de euros, e será executado em conjunto com parceiros empresariais.

Também os projectos relacionados com o Grupo Pestana, segundo o vereador, poderão ficar prontos de modo a avançar este ano.

Luís Pires, arquitecto da Câmara Municipal da Praia, explicou que para a Praia Negra está previsto um "complexo polifuncional", de lazer, comércio e serviços.

Terá dois edifícios na vertical, duas "torres", que poderão ser utilizados para serviços e hotelaria, "funcionando como verdadeiras ex-libris da cidade".

Para essa zona está previsto um parque de estacionamento para 800 veículos, a que se juntará outro, próximo do edifício da Cabo Verde Telecom, para mais 300 viaturas. Destinam-se a conter a pressão automóvel sobre o centro histórico do "Plateau".

Também está a ser equacionada a implantação na Praia Negra de um parque urbano, que poderá acolher uma pista de "karting".

A Câmara Municipal da Praia recebeu dois pedidos de investidores para infra-estruturas desportivas daquela natureza.

Em relação aos projectos do Grupo Pestana, o arquitecto separa o que é apontado para terrenos próprios, para ampliação do hotel Trópico, e um distinto, mas interligado a este através de um pontão, para o Ilhéu de Santa Maria.

"São propostas em cima da mesa para discutir e para os quais o Gabinete Estratégico já emitiu um parecer, mas que terão de ser lapidados", explicou Luís Pires, frisando que o projecto para o ilhéu de Santa Maria, propriedade do Estado, é apresentado em três versões.

O projecto de ampliação do hotel Trópico contempla a construção de 18 unidades de alojamento, um espaço polivalente nos edifícios existentes e a construção de um novo edifício, com uma área edificada de cerca de quatro mil metros quadrados.

O novo edifício da unidade hoteleira terá um salão de conferências, um restaurante panorâmico, estacionamento automóvel em cave, 60 quartos e uma dezena de suites.

Para o Ilhéu de Santa Maria são propostos "três cenários" - um com "bungalows", com utilização reduzida, um com maior número de "bungalows" e serviços complementares de lazer, piscina e campos de ténis.

A terceira opção é composta por "um edifício em três pétalas", tendo como "eixo composicional" um casino com discotecas e outras estruturas de lazer.

Uma pequena marina, segundo Luís Pires, deverá igualmente fazer parte do projecto para o ilhéu de Santa Maria.

Ao longos dos anos o Ilhéu de Santa Maria foi objecto de pelo menos três propostas para implantação de infra-estruturas turísticas com casino.

A derradeira tinha previsto investimentos da ordem dos sete a oito milhões de francos franceses, afirmou o vereador.

Para a baía de Santa Maria está já aprovado um projecto de hotel, que será o primeiro com a categoria de cinco estrelas da capital cabo-verdiana, iniciativa de investidores espanhóis das ilhas Canárias.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem