As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Necessária mudança de comportamento para desenvolver o país
- 13-Apr-2003 - 14:44

O primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, considerou ser necessária uma mudança urgente de comportamentos para que o país consiga desenvolver-se e ganhar os desafios da globalização.


Ao intervir na Cidade da Praia no encerramento de um fórum sobre o tema "A construção de um quadro de consenso nacional para a transformação de Cabo Verde", José Maria Neves sublinhou que o país vive "um momento crucial de desenvolvimento".

O processo de globalização - frisou - "não é uma ameaça, mas uma oportunidade que deve ser aproveitada".

"Temos de aproveitar as oportunidades e, para isso, precisamos de mudar os comportamentos, de reinventar a noção do tempo. E mudar a atitude comportamental é essencial", sublinhou.

Na sua perspectiva, é preciso criar uma cultura de gestão, fomentar o desenvolvimento organizacional da administração pública e empresas e ter capacidade de empreendimento e de assunção de riscos.

"Temos de construir uma vontade nacional para a dinâmica desejável de crescimento sustentado e durável do país", frisou, aludindo também à necessidade de se criarem capacidades humanas e institucionais, a par de uma "desestatização" da sociedade.

Adoptando um discurso conciliador, o governante apelou a uma valorização de todo o percurso de Cabo Verde desde a independência, em 1975, de tudo o que foi possível construir em conjunto com as sucessivas reformas concretizadas.

Ao referir-se ao fórum, que decorreu durante três dias na Cidade da Praia, José Maria Neves realçou que "os consensos construídos constituem para o governo o essencial da sua agenda estratégica".

No entendimento do chefe do executivo, "existem também consensos relativamente aos recursos estratégicos fundamentais para garantir essa transformação do país".

Atribuindo a maior importância às conclusões deste fórum, disse que o governo vai reunir-se já no sábado para as analisar e equacionar as medidas para as levar à prática.

Sobre algumas das recomendações, revelou que dentro de algumas semanas será constituída a sociedade de desenvolvimento turístico para as ilhas do Sal, Boavista e Maio, e aprovado o plano estratégico de desenvolvimento do turismo.

Quanto à estratégia de desenvolvimento dos transportes aéreos, salientou que o governo está empenhado em criar um entreposto no aeroporto internacional do Sal para passageiros e mercadorias, da Europa, África e América.

Essa foi também uma das recomendações do fórum, em que se aconselhou o aprofundamento dos mercados alvo e a procura de um parceiro para a privatização da companhia Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) que esteja interessado em desenvolver essa estratégia.

Inserido nessa estratégia de modernização e consolidação dos transportes, José Maria Neves citou a aprovação de um código aeronáutico e a criação do Instituto de Aeronáutica Civil.

A possibilidade da companhia sul-africana SAA ser a parceira para a privatização da cabo-verdiana TACV foi um desejo que alguns governantes expressaram há meses atrás, antes de o executivo desencadear o processo, em Dezembro passado.

O desenvolvimento de um turismo ligado ao mar, de qualidade, em oposição ao de massas, nas vertentes ecológica, da terceira idade, cultural e da saúde foi também preconizada na reunião.

O fórum, que teve início na passada quarta-feira, foi organizado conjuntamente pelo gabinete do primeiro-ministro, Banco de Cabo Verde, Programa das Nações Unidas para do Desenvolvimento, Conselho Superior das Câmaras do Comércio e Associação dos Economistas.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem