As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Oposição teme fraude eleitoral
- 22-Apr-2003 - 18:51

O líder e candidato a primeiro- ministro da Guiné-Bissau pela coligação União Eleitoral (UE), Joaquim Baldé, alertou hoje para a necessidade de "controlar" as eleições legislativas antecipadas de 06 de Julho "para evitar a tentação da fraude".


Joaquim Baldé disse que evitar "toda e qualquer tentação de fraude" é a questão fundamental para a UE, coligação de base étnica Fula, que constitui cerca de 30 por cento da população, formada pelo Partido Social Democrata (PSD), Liga Guineense de Protecção Ecológica (LIPE), Partido da Renovação Democrática e Partido Socialista de Salvação Guineense (PSSG).

Para este conjunto de partidos, "evitar as fraudes" é "muito mais importante" que cumprir os prazos legais estipulados para o processo eleitoral.

Por isso, Joaquim Baldé instou os restantes partidos da oposição a criarem "brigadas de fiscalização" do recenseamento eleitoral - que devia ter começado no passado dia 17, mas que foi adiado - e a "alertar a comunidade internacional para a necessidade imperiosa de colocar observadores das eleições no terreno".

Joaquim Baldé não especificou, no entanto, quem poderão ser os autores da eventual fraude eleitoral.

Outra coligação, a Plataforma Unida, liderada por Hélder Vaz e Victor Mandinga, e o Partido Africano de Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) já tinham alertado para a eventual ocorrência de fraudes eleitorais por parte do Partido da Renovação Social (PRS), no poder, e do presidente Kumba Ialá.

Um dos sinais encontrados pelo PAIGC para a tentativa de criação de um quadro propício à fraude foi a recente exoneração, por Kumba Ialá, de António Sedja Man do cargo de ministro da Administração Interna, nomeando para a pasta Fernando Correia Landim, um ex-ministro da Defesa e também do Comércio.

O Ministério da Administração Interna tem a seu cargo a gestão de todo o processo eleitoral.

Também o ex-primeiro ministro e candidato ao cargo pelo Partido Unido Social Democrata (PUSD), Francisco Fadul, na sua recente visita a Bissau, vindo de Portugal, disse à Lusa considerar "essencial" que todo o processo eleitoral, incluindo o recenseamento, seja "acompanhado por observadores internacionais".

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem