As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Voz de Cabo Verde de novo no país para promover disco
- 15-May-2003 - 14:32

O grupo Voz de Cabo Verde inicia sexta-feira na cidade do Mindelo uma digressão por Cabo Verde para promover o CD gravado ao vivo em 2002, que marcou, três décadas depois, o reencontro no país de origem dos membros da formação original.


Formado em 1964 por cabo-verdianos na Holanda, o grupo original chegou ao fim em 1967, embora pontualmente tenham reaparecido em formações com a designação de Voz de Cabo Verde e com alguns elementos fundadores.

O grupo, depois do Mindelo (ilha de S. Vicente), apresenta-se na vila de Ribeira Grande (ilha de Santo Antão) no sábado. Domingo será a vez da vila dos Espargos (ilha do Sal) o acolher, e no próximo dia 21 estará na Cidade da Praia, a capital do país, a encerrar a digressão.

"Voz de Cabo Verde Live" é o registo discográfico desse reencontro dos elementos fundadores do grupo, durante um concerto realizado na Cidade da Praia em inícios de Abril de 2002, com o apoio do Instituto Camões.

Da formação original apenas não participou nesse concerto o baterista/percussionista Franck Cavaquim, já falecido, sendo substituído pelo Toy Paris (irmão do cantor Tito Paris), que integrou o grupo numa fase mais avançada.

Luís Morais (flauta, clarinete e saxofones), Morgadinho (voz e trompete), Toy Ramos (guitarra e coros), Jean Da Lomba (baixo e coros) e Djosinha (voz) são os membros da formação original, que se juntaram para actuar em 2002 em Cabo Verde, a que se associou também o pianista Chico Serra, que integrou a segunda formação deste conjunto, a partir de 1969.

Agora, nesta digressão, também não poderá participar o "chefe" do grupo, Luís Morais, falecido em finais de 2002, que será substituído por Chla, um músico cabo-verdiano radicado em França e que há três décadas integrou Os Apolos.

Pelos quatro palcos cabo-verdianos vão desfilar canções como "Teresinha", "Som de la Guaracha", "Johnny Guitar, "Linda Melodia", "Cize", "Bruca Manigua", "Flor Formosa", ou "Bem qu´el Lorge", todas elas a figurar entre os 14 temas que compõem o CD.

O grupo formou-se em 1964 em Roterdão, Holanda, e dessa formação inicial não fazia parte o marinheiro Djosinha, mas integrava o grupo como cantor sempre que aportava naquela cidade. Mas, poucos meses depois, acedeu ao convite do grupo e abandonou a vida de embarcado.

Luís Morais, na altura chefe do grupo, contou à Agência Lusa, uns dias antes desse concerto de 2002, que para ser possível legalizar o Voz de Cabo Verde na Holanda foi necessário radicarem-se durante seis meses no estrangeiro. Optaram pela Bélgica, até que em Fevereiro de 1965 puderam então registar o grupo.

Luís Morais, Toi D´Bibia, Jean Da Lomba e Morgadinho já tocavam juntos em Dacar, Senegal, antes de se radicarem na Holanda, onde se juntaram a Franck Cavaquim e, mais tarde, a Djosinha.

Durante três anos divulgaram por bares, cabarés e salas de espectáculo as mornas e coladeras, e dessa convivência artística resultou o disco "Dançando com a Voz de Cabo Verde". Com a saída de alguns dos elementos, o grupo desagregou-se.

Desde o início tocavam originais de membros do grupo, num repertório que incluía algumas músicas tradicionais e latino- americanas, um género de que receberam influência durante a estada no Senegal.

Em 1967, o original Voz de Cabo Verde chegou ao fim. E, para Luís Morais, é o fim do grupo. As formações que lhe dão continuidade são apenas "para o nome não se perder".

Luís Morais manteve-se em formações que utilizavam a designação Voz de Cabo Verde até meados dos anos 70, por onde passaram também Paulinho Vieira, Chico Serra, Toi Paris, Tiuna, Armando Tito ou Toni Oscar.

Desde a extinção, o Voz de Cabo Verde já se reunira umas duas ou três vezes, sem o falecido Franck Cavaquim nem Jean Da Lomba, este último por se encontrar radicado nos Estados Unidos e cultivar a paixão de andar embarcado, apesar de ser um empresário hoteleiro de sucesso.

O Voz de Cabo Verde é considerado o primeiro grupo que internacionalizou a música cabo-verdiana, e através dos seus membros reinventou o género musical "coladera".

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem