Anuncie no Noticias Lusofonas e dê a conhecer a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Angola
Jornalista José Lelo continua detido e está com malária
- 21-Dec-2007 - 23:10


O jornalista angolano José Lelo, detido em Cabinda no passado dia 15 de Novembro, continua preso e está doente com malária, disse Eusébio Rangel, o advogado que o defende.


"Estive fora de Luanda durante as últimas duas semanas, mas hoje visitei-o e encontrei-o adoentado com paludismo [malária]. Aliás, fui eu que lhe comprei os medicamentos", disse o advogado.

De acordo com o causídico, a prisão preventiva do jornalista já ultrapassou os 45 dias máximos previstos inicialmente e, nesta fase do processo, não é possível prever uma data para a libertação de José Lelo.

"Não posso fornecer muitas informações, pois trata-se de um processo judicial que implica o segredo de justiça, mas digo-lhes que a Polícia Judiciária devolveu o processo ao magistrado do Ministério Público", disse Eusébio Rangel.

Salientando que "é tudo uma questão de paciência", o advogado referiu que há, de facto, "circunstâncias com alguma gravidade" em torno deste processo, que, por agora, se escusou a mencionar.

Já depois da detenção, decorreu, em finais de Novembro, na Polícia Judiciária Militar (PJM), em Luanda, o "reconhecimento entre todos os co-arguidos", o jornalista e os sete militares que o detiveram.

"No momento em que foi perguntado aos militares se conheciam José Lelo, estes responderam que não, e quando a mesma pergunta foi feita ao jornalista, este declarou igualmente que não conhecia os militares", explicou o causídico.

Rangel entende que o facto de não haver testemunhas que sustentem a acusação "é um dado fundamental" para o desenlace do processo, tendo em conta que "nenhum tribunal pode condenar alguém sem provas".

José Lelo trabalhava no momento da detenção para uma empresa ligada ao petróleo no enclave de Cabinda e já não era correspondente da Voz da América há vários meses.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
 



 Ligações

 Jornal de Angola
 Sindicato dos Jornalistas
 AngolaPress - Angop
 Televisão de Angola
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design e SEO Angola por NOVAimagem