As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Manchete
Tudo pronto para adiar
eleições presidenciais

- 28-Nov-2008 - 14:35


Ou seja, as presidenciais em Angola foram atingidas com, pelo menos, cinco certeiros tiros

Depois do líder da Oposição e presidente da UNITA, Isaías Samakuva, ter condicionado a sua eventual participação às presidenciais, previstas para 2009, desde que estas fossem manifestamente transparentes, democráticas e sem constrangimentos como os ocorridos nas legislativas e de que a UNITA já fez eco através de um comunicado; ou seja, e segundo as palavras de Samakuva se "… não houver garantias […as presidenciais] não vão ser uma farsa".


Por Eugénio Costa Almeida

Um primeiro tiro nas presidenciais.

Depois da sondagem que o Semanário Angolense publicou na sua edição 291, de 15 a 22 de Nov., que mostravam que o actual inquilino da Cidade Alta não tinham concorrentes à altura, nem mesmo dentro do seu partido, o que tornaria as presidenciais num autêntico plebiscito, tornando quase desnecessária a votação.

Segundo chumbo certeiro nas presidenciais

Sabendo que um dos grandes objectivos de certas personalidades próximas, e mesmo dentro, do MPLA querem que o regime angolano seja total e claramente presidencialista em vez desta encapotada situação em que a Constituição aponta para um regime parlamentarista semi-presidencialista, mas que a prática mostra ser claramente presidencialista, é sua vontade é que a actual Constituição sejam rapidamente revista.

Perfeitamente natural num regime democrático e onde o Parlamento é dominado por uma maioria qualificada de um partido, no caso o MPLA. Mal ou bem, com desacertos ou situações questionáveis, os adversários aceitaram e sancionaram o que o Povo, mesmo que em eventual teoria, decidiu. E se decidiu…

Pois é aproveitando esta situação de eventual alteração da Constituição, que não tem data prevista de início e, ou, termo, que o Presidente José Eduardo dos Santos, potencial jogador nas presidenciais, decidiu condicionar as presidenciais previstas para o próximo ano à aprovação da nova Constituição; ou seja, e como o próprio Presidente fez questão de sublinhar, o presidente eleito terá de o ser "a partir do que ficar plasmado na Lei Fundamental angolana".

E aqui temos a terceira chumbada à democracia e às presidenciais.

Mas o presidente esqueceu-se de referir que uma nova Constituição não condicionará, somente, as presidências mas, também, e isso é importante não esquecer, as últimas legislativas. É que se o actual inquilino da Cidade Alta não for eleito presidente, o novo poderá sempre demitir o Parlamento e convocar novas eleições. É que a maioria qualificada do MPLA quase que o impede de procurar em outro espaço um novo “vice-líder” para chefiar o “seu” Governo.

E aqui, quer queiramos, quer não, há claramente um novo e certeiro tiro nas presidenciais e, também, nas últimas legislativas.

Por outro lado, e não deixa de ser incrível como continua a acontecer isto, vemos que o actual Presidente José Eduardo dos Santos continua a ser, previsivelmente pelo menos, jogador e árbitro nas contendas eleitorais, tal como o foi, e com legitimidade, reconheça-se, nas Legislativas.

E, gostemos ou não, isto é uma clara e manifesta condicionante na vida política nacional o que debrua como mais um certeiro e importante tiro na vida política angolana e, no caso concreto, nas presidenciais.

Ou seja, as presidenciais foram atingidas com, pelo menos, cinco certeiros tiros. E assim dificilmente uma Democracia sobrevive, salvo se o bom senso e a capacidade visionária dos nossos políticos não ficar, de todo, deslumbrada.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
Construção e optimização de  web sites - NOVAimagem  - search engine optimization
 Ligações

 Jornais Comunidades
Algarve Car Hire
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Criação de Sites Portugal por NOVAimagem