NCaster Has not been assigned a template for this catogory. This site is powered by Project ncaster
using defalts layout Reformas e ajustes do sector com ajuda da comunidade internacional - Banco Mundial e Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) - permitiram que o país alcançasse alguns progressos no sistema secundário e melhorar a qualidade de ensino para responder aos desafios do milénio.

O ministro anunciou hoje a aplicação em 2010 do novo modelo no sistema do ensino secundário, que vai do primeiro ciclo do ensino secundário - 7º a 9º anos - ao segundo ciclo - 10º a 12º anos respectivamente.

Jorge Bom Jesus disse que o programa de experiência piloto no Liceu Nacional é transversal e adaptado ao ano zero exigido pelas universidades, por causa da dimensão e realidade nacional.

“No próximo ano vamos, a nível do Liceu Nacional, adoptar e fazer alguns ajustes para termos um 12º ano com um programa inspirado naquele que faz o ano zero nas universidades lusíadas de São Tomé, ISP, e Instituto Diocesano João Paulo II, de currículo português”, sublinhou o ministro.

Para tal, o imóvel é alvo de obras no âmbito do projecto (Escola +), da Cooperação portuguesa, enquanto os professores, gestores e administradores escolares recebem treino, disse Bom Jesus.

Do ponto de vista do governo, sublinha Bom Jesus, é preciso integrar políticas “muito pautadas no paradigma português”, uma vez que Portugal é a maior janela de oportunidade para os estudantes santomenses que decidem prosseguir os estudos no exterior.

“Isto na perspectiva de tentar travar a vantagem dos alunos das escolas privadas sobre os de sistema Estatal, que prosseguem os estudos em Portugal”, justificou o governante.

O ministro avançou que foram introduzidos em 2010 alguns elementos de equidade, procurando uma "espécie de justiça” entre o ensino público e o privado.

O Liceu Nacional é actualmente o centro pré universitário de referência do país, vocacionado para o ensino pré universitário, do 7º ao 11º anos, com mais de cinco mil alunos de todo o país.