NCaster Has not been assigned a template for this catogory. This site is powered by Project ncaster
using defalts layout Por Jorge Monteiro Alves

O insuspeitíssimo militante socialista (ou xuxialista, como preferirem...) Vítor Batista fazia tenções de se candidatar à presidência da Federação de Coimbra do dito-cujo partido. Ora acontece que o Senhor Engenheiro teria outra pessoa em mente para o cargo. Assim como quem não quer a coisa, mandou o seu chefe de gabinete, André Figueiredo, dizer a Vítor Batista que se não se candidatasse teria assegurado um tacho na CP, na Refer ou na Metro. Assim mesmo: à escolha. E com um ordenado de 15 mil euros por mês. Coisa pouca.

Ora aquilo que o Senhor Engenheiro não estava à espera era que o militante Vítor Batista pusesse a boca no trombone e denunciasse o caso, prática comum nas hordas xuxas. Caiu o Carmo e a Trindade. Olha que espanto! Já tomos sabemos que são chulos, ora essa, não fiquem embaraçados que nós também não...

Contudo, já mais embaraçado fiquei quando o maior site do Mundo em língua castelhana (“El Mundo”) vem expor aos quatro ventos a imbecilidade deste Governo liderado pelo inigualável Senhor Engenheiro. Atão não é que passámos a ter a portagem mais cara do Mundo? Assim mesmo, do Mundo. Boa!

É que a introdução de portagens não é só para os labregos dos nortenhos. Não, senhor. Até os estrangeiros comem. E pela medida grande. Neste caso os Espanhóis, que é como quem diz os Galegos. Pois uma viagenzita de Vigo para o Porto fica pela módica quantia de 77 euros, mais outro tanto para regressar. Quer dizer são 144 euros por 144 quilómetros de auto-estrada. É obra!

Pronto. Não somos recordistas do Mundo em mais nada, mas na chulice não há quem nos basta. Somos os maiores! Mas há uma questão que o Senhor Engenheiro porventura se terá esquecido: é que o Norte do País é demandado anualmente por centenas de milhar de Galegos. E agora? Vão continuar a vir cá? E os Portugueses que exportam para Espanha? Vão as empresas conseguir sobreviver a pagar portagens caríssimas? Quanto aos particulares, o melhor é nem falar... Viva a chulice! Viva a imbecilidade! Viva Portugal!