As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Grupo de teatro de S. Tomé «inventa» meios para actuar no Mindelact
- 19-Sep-2003 - 9:02

Depois de uma odisseia para angariar os meios financeiros para chegar de S. Tomé e Príncipe a Cabo Verde, o Grupo de Teatro Ôssobó apresenta hoje no Mindelact - Festival Internacional do Mindelo a criação "A Tartaruga que Canta".


Para concretizar a estreia de S. Tomé e Príncipe neste festival de forte componente lusófona, os membros do Ôssobó levaram a cabo uma verdadeira odisseia para conseguir os meios financeiros que viabilizassem tal desejo.

Organizaram festas, que lhes garantiram alguns meios, mas isso também serviu para mobilizar outras entidades financiadoras, entre as quais a transportadora aérea portuguesa TAP, que facultou bilhetes de viagem a preços especiais.

Mas, desembarcados ao aeroporto internacional Amílcar Cabral, na Ilha do Sal, e como o dinheiro era escasso para tomarem os aviões de ligação para a cidade do Mindelo, ilha de S. Vicente, os elementos daquele grupo meteram-se num barco e andaram pelos mares de Cabo Verde 15 horas para chegar ao destino.

O sonho de representar em Cabo Verde, no Mindelact, tornou-se realidade, e hoje sobe ao palco este grupo liderado por João Carlos Silva, um jovem que nos anos 80 interrompeu o curso de direito na Universidade de Coimbra (Portugal) para enveredar pelas causas sociais e artísticas.

Afinal, apenas se inspiraram no exemplo do Ôssobó, que escolheram para nome do grupo, fazendo da força de vontade e da criatividade o meio para alcançar um sonho. Foi no Ôssobó, um pássaro santomense que canta para chamar chuva quando ela tarda a chegar.

Criado há um ano, o grupo de teatro de S. Tomé e Príncipe apresenta hoje no Mindelact a sua segunda produção, estreada no passado mês de Abril, e que se inspira na criação "A Tartaruga que Canta" do escritor togolês Zenouvo Agbota Zinson.

Trata-se de uma parábola sobre o poder e a honestidade. Com a sua carapaça como cúpula, e a parte inferir como a terra, a tartaruga representa o universo, e é ela própria uma mediadora entre o céu e a terra.

Com encenação de Afonso Januário, "A Tartaruga que Canta" é uma produção do Centro Internacional de Arte e Cultura / Espaço Teia d+Arte, uma organização não governamental que desenvolve actividades cultural e sociais em S. Tomé e Príncipe.

O Mindelact - Festival Internacional de Teatro do Mindelo, que cumpre a sua nona edição, têm na sua programação deste ano uma presença reforçada de grupos oriundos de países de língua portuguesa, para celebrar a Capital Lusófona da Cultura, um estatuto que a Cidade do Mindelo ostenta.

Grupos de Portugal, S. Tomé e Príncipe, Brasil e Cabo Verde tem vindo a subir ao palco, juntando-se a eles outros oriundos de França e Bélgica.

O encerramento acontecerá domingo com a estreia absoluta da criação "Ruínas" pelo grupo de dança cabo-verdiano Raiz di Polon.

O Mindelact+2003, que teve início no passado dia 11, é um festival com algumas singularidades, como o facto de serem os próprios grupos participantes a procurarem os meios para se deslocar a Cabo Verde. à organização competem os encargos com o seu acolhimento, que este ano ascendem a cerca de 6 mil contos cabo- verdianos (cerca de 54.400 euros).

A União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), a CPLP, o Instituto Camões, os ministérios da Cultura de Portugal e Cabo Verde e a Cooperação Portuguesa são alguns dos principais apoiantes do Mindelact+2003.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem