As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Moçambique e Angola terão segundo e terceiro maior PIB em 2004
- 19-Sep-2003 - 14:34

Moçambique e Angola registarão a segunda e terceira maior taxa real do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2004, apenas atrás do Chade, segundo as previsões contidas no relatório de 2003 do Fundo Monetário Internacional (FMI).


Dos 51 países analisados - ficam de fora do continente africano o Egipto, Líbia e República Árabe Sarauí Democrática (RASD) - o Chade terá em 2004 uma taxa de crescimento recorde do PIB, com 42,4 por cento, seguindo-se Moçambique, com 11,9 pc, e Angola, com 11,1 pc.

No relatório, em que Libéria e Somália, apesar de referenciados, não estão contemplados com quaisquer dados, Cabo Verde ocupa a 24º posição, com uma taxa de crescimento real do PIB de 5,1 pc, seguido por São Tomé e Príncipe, no 26º lugar, com 5 pc.

A Guiné-Bissau ocupa o último lugar entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), ao fixar-se na 40¦ posição, com a previsão de uma taxa real de crescimento do PIB de 3,3 pc em 2004.

Segundo o documento do FMI, a previsão média da taxa real de crescimento de África para 2004 situa-se nos 5,1 pc. Assim, acima da média estão Moçambique e Angola, precisamente nesse nível situa-se Cabo Verde, enquanto São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau estão abaixo.

O relatório do FMI, que será analisado na próxima reunião anual conjunta com o Banco Mundial (BM), marcada para o Dubai a 24 e 25 deste mês, dá conta da evolução das taxas reais de crescimento desde 1995, indicando uma estimativa da atingida em 2002 e perspectivando a de 2003.

Segundo as estimativas do FMI, a taxa média de crescimento vai continuar a tendência já evidenciada a partir de 2002, quando, depois de descer dos 3,7 pc registados em 2001 para os 3,3 pc estimados para 2002, começou a recuperar, prevendo-se para este ano que atinja os 3,7 pc.

As duas últimas posições das previsões para 2004, retirando a Libéria e Somália, são o Gabão (48º lugar, com 1,7 pc) e a Suazilândia (49¦ com 1,6 pc).

Moçambique, que obteve uma taxa real de crescimento entre 1985 e 1994 de 4,0 pc e, até 2003, sofreu altos e baixos, evoluindo sucessivamente da seguinte forma: 4,3 pc (1995), 7,1 pc (1996), 11,1 pc (1997), 12,6 pc (1998), 7,5 pc (1999), 1,5 pc (2000), 13,0 pc (2001), 7,7 pc (2002) e 7,0 pc (2003).

Seguindo o mesmo método, Angola, por seu lado, teve uma taxa média de crescimento negativa entre 1985 e 1994 de -1,5 pc, passando, a partir de 1995, sempre a contar com valores positivos.

Nesse ano, Angola registou uma taxa de 10,4 pc, tendo, a partir daí evoluído da forma seguinte: 11,2 pc (1996), 7,9 pc (1997), 6,8 pc (1998), 3,3 pc (1999), 3,0 pc (2000), 3,2 pc (2001), 15,3 pc (2002) e 4,4 pc (2003).

Cabo Verde, cuja taxa média entre 1985 e 1994 do de 4,7 pc, registou, a partir de 1995 a seguinte evolução: 7,5 pc (1995), 5,5 pc (1996), 8,5 pc (1997), 8,0 pc (1998), 8,9 pc (1999), 6,6 pc (2000), 3,8 pc (2001), 4,6 pc (2002) e 5,0 pc (2003).

São Tomé e Príncipe registou uma taxa média de crescimento entre 1985 a 1994 de 0,8 pc, obteve os seguintes resultados: 2,0 pc (1995), 1,5 pc (1996), 1,0 pc (1997), 2,5 pc (1998 e 1999), 3,0 pc (2000), 4,0 pc (2001), 4,1 pc (2002) e 5,0 pc (2003).

A Guiné-Bissau, por fim, teve uma taxa média de crescimento real do PIB de 3,0 pc entre 1985 e 1994, evoluiu da forma seguinte: 4,4 pc (1995), 4,6 (1996), 5,5 pc (1997), -28,1 pc (1998, devido ao conflito militar), 8,0 pc (1999), 9,5 pc (2000), 0,2 pc (2001), -4,2 pc (2002) e 3,9 pc (2003).


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem