As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Três PALOP entre dez Estados com previsão de maior inflação em 2004
- 19-Sep-2003 - 18:52

Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe figuram entre os 10 Estados africanos com a previsão de maior taxa de inflação em 2004, indica o relatório anual, referente da 2003, divulgado esta semana pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).


Segundo as previsões daquela instituição financeira internacional, que faz as estimativas em 49 países africanos, Angola é o segundo da lista, prevendo o FMI que, em 2004, a inflação naquele país atinja os 30,1 por cento, baixando significativamente aquele índice, que, este ano, prevê o Fundo, será de 95,3 pc.

Angola situa-se apenas atrás do Zimbabué, líder destacado desta lista, para quem o FMI prevê para 2004 uma taxa de inflação de 380 por cento, um pouco menos dos 420 por cento esperados para este ano.

Moçambique ocupa o sexto lugar na lista, com o índice de preços ao consumidor a atingir no próximo ano, segundo as previsões, os 8,8 pc, abaixo dos 14,8 pc esperados pelo FMI para este ano.

Quanto a São Tomé e Príncipe, o pequeno arquipélago ocupa a nona posição, com uma taxa de inflação esperada para 2004 de 8 por cento, também abaixo da projecção de 9 pc prevista para 2003.

A Guiné-Bissau manterá, segundo o Fundo, as projecções previstas para 2003 e 2004, que se situará nos 3 pc, valor este que poderá subir, dado que as projecções do FMI foram elaboradas antes do golpe de Estado de domingo e que levou à deposição do regime guineense.

Cabo Verde, por seu lado, é, dos cinco Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), o que menor taxa de inflação terá em 2004, segundo as previsões do FMI, se situará nos 2,0 por cento, ocupando assim, o 37/o lugar na tabela.

No entanto, no âmbito dos "Cinco", se virarmos a tabela ao contrário, Cabo Verde é o 12/o país com menor taxa de inflação, seguido pela Guiné-Bissau (23), São Tomé e Príncipe (40), Moçambique (43) e Angola (48 e penúltimo).

O país africano com previsão de menor índice de preços ao consumidor em 2004 é o Quénia, com apenas 0,3 pc de inflação, seguido pela República Centro Africana e Níger, ambos com 1,7 pc, e pelo Senegal, com 1,8 pc.

A taxa média de inflação no continente africano prevista 2004 é de 7,7 pc, havendo apenas cinco países com índices superiores a um dígito - Zimbabué (380 pc), Angola (30,1 pc), Eritreia (12,4 pc), Nigéria (11,6 pc) e Lesoto (10,1 pc).

Acima da média, está Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe e abaixo desse referencial está a Guiné-Bissau e Cabo Verde, numa lista em que não estão integrados três países - Egipto, Líbia e República Árabe Sarauí Democrática (RASD) - e dois não contam com dados -Libéria e Somália).

Segundo o relatório, em relação à evolução da inflação nos PALOP, o FMI divulga a taxa média do índice de preços ao consumidor entre 1985 e 1994, para, depois, indicar a percentagem anual desde 1995.

Assim sendo, Angola teve sucessivamente uma inflação de 104,5 pc (média entre 1985 e 1994), 2.672,2 pc (1995), 4.146,0 pc (1996), 221,5 pc (1997), 107,4 pc (1998), 248,2 pc (1999), 325,0 pc (2000), 152,6 pc (2001) e 108,9 pc (2002), esperando o FMI uma taxa de 95,3 pc este ano.

Seguindo o mesmo método, Moçambique teve uma inflação de 53,0 pc (1985/94), 54,4 pc (1995), 44,6 pc (1996), 6,4 pc (1997), 0,6 pc (1998), 2,9 pc (1999), 12,7 pc (2000), 9,0 pc (2001), 16,8 pc (2002) e prevê 14,0 pc para 2003.

Por seu lado, São Tomé e Príncipe registou uma inflação de 31,6 pc (1985/94), 36,8 pc (1995), 42,0 pc (1996), 69,0 pc (1997), 42,1 pc (1998), 16,3 pc (1999), 11,0 pc (2000), 9,5 pc (2001) e 9,2 pc (2002), estimando-se este ano o valor de 9,0 pc.

A Guiné-Bissau teve 59,1 pc (média entre 1985/94), 45,4 pc (1995), 50,7 pc (1996), 49,1 pc (1997), 8,0 pc (1998), -2,1 pc (deflação em 1999), 8,6 pc (2000), 3,3 pc (2001 e 2002), calculando o FMI que, em 2003, esse índice se situe nos 3,0 pc.

Por fim, Cabo Verde teve uma inflação de 7,0 pc (1985/94), 8,4 pc (1995), 6,0 pc (1996), 8,6 pc (1997), 4,4 pc (1998), 3,9 pc (1999), -2,4 pc (deflação em 2000), 3,8 pc (2001), 1,8 pc (2002) e prevê-se para este ano que atinja os 2,8 pc.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem