As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Ex-bolseiros no estrangeiro desde 1992 vão ter de reembolsar Estado
- 27-Sep-2003 - 19:42

O Governo de Cabo Verde vai exigir aos antigos estudantes o pagamento dos montantes que aplicou desde 1992 nas suas bolsas para a realização de estudos no estrangeiro.


A decisão foi tomada quinta-feira passada pelo Conselho de Ministros, que aprovou um diploma que define os termos em que os reembolsos ao Estado devem ser feitos.

Na altura, o Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Arnaldo Andrade, revelou apenas uma parte da decisão, que abrangeria os estudantes que celebraram contratos com o Estado a partir de 1997.

Sexta-feira, a Coordenadora do Fundo de Apoio ao Ensino e à Formação, Iolanda Monteiro, veio rectificar que o âmbito da medida governamental abarca todos os estudantes bolseiros a partir de 1992.

Iolanda Monteiro explicou que foi a partir de 1992 que surgiu o Programa de Formação em Países Terceiros, com um decreto-lei que cria as bolsas reembolsáveis.

"Todos os estudantes, a partir dessa data, assinaram com o Estado um contrato em como assumiam o reembolso do montante recebido", acrescentou.

Entretanto, em 1997 houve algumas mudanças no sistema, com o recurso ao financiamento bancário. O que antes se designava bolsa- reembolsável passou a denominar-se bolsa-empréstimo.

O Ministério da Educação, na altura, converteu as bolsas reembolsáveis em bolsas empréstimo e todos os bolseiros, desde 1992, passaram a ser abrangidos pelo decreto-lei de 1997 que regula as bolsas-empréstimo, adiantou Iolanda Monteiro.

De acordo com a legislação de 1997, as bolsas deveriam ser reembolsadas a cem por cento, com acréscimo de juros, num período de dez anos.

O decreto-lei aprovado quinta-feira pelo Conselho de Ministros define um regime mais favorável para os ex-bolseiros.

Em vez do reembolso a 100 por cento, o Estado apenas reclama 70 por cento sem juros e concede um período de 15 anos para o pagamento integral desses montantes.

No entanto, esse diploma regula também algumas excepções ao princípio geral. No caso de o ex-bolseiro não ter completado o curso, ou ter optado por permanecer no estrangeiro no seu termo, o reembolso será a 100 por cento.

De acordo com a Coordenadora do Fundo de Apoio ao Ensino e à Formação, nos casos em que os ex-bolseiros não assumam os pagamentos serão os seus fiadores a responder perante o Estado.

Quanto aos restantes ex-bolseiros de Cabo Verde, desde 1975 (independência do país) e até 1992, não haverá qualquer compromisso perante o Estado porque não foram celebrados contratos entre as partes.

O reembolso das bolsas de estudo destina-se a dotar de meios o Fundo de Apoio ao Ensino e à Formação para novos estudantes no exterior.

Uma medida desta natureza, embora impopular, reveste-se de grande importância num país pobre como Cabo Verde, cujo Orçamento Geral do Estado é constituído em 80 por cento por verbas da ajuda externa e por créditos de instituições financeiras em Portugal.

Apesar de actualmente ter o ensino superior, quer público, quer privado, em expansão no país, no estrangeiro estudam anualmente cerca de três mil jovens.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem