As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Presidente defende reforço da cooperação não governamental
- 22-Nov-2002 - 15:36

O Presidente da República de Cabo Verde, Pedro Pires, defendeu hoje o reforço da cooperação não governamental, por a considerar mais solidária do que a dinamizada por governos e Estados.

Para o chefe de Estado cabo-verdiano, a cooperação entre cidades, municípios e entre instituições da sociedade «é mais solidária, e menos interesseira, porque é feita entre pessoas».

Os resultados deste relacionamento, na sua opinião, «poderão empurrar os governos e os Estados para um certo tipo de cooperação», mais humana.

Pedro Pires enalteceu ainda o papel das cidades no relacionamento entre os povos, ao conceder hoje uma recepção aos participantes na XVIII Assembleia Geral da UCCLA (União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas), a decorrer na Cidade da Praia.

Na circunstância, considerou que o que une os povos lusófonos não é apenas a língua, mas um património comum.

Nesse sentido, as cidades que formam a UCCLA, pela sua dispersão pelos continentes, poderão servir de pontos de diálogo entre culturas, disse, acrescentando que o património comum que une as cidades através dos seus cidadãos poderá ser utilizado para estreitar as relações e o diálogo entre culturas.

Pedro Santana Lopes, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e por inerência presidente da Comissão Executiva da UCCLA, reiterou na sessão o seu empenhamento em levar a organização a desempenhar cabalmente as suas funções.

Essa missão tem como objectivo a cooperação para o desenvolvimento em liberdade, um ideal que «passa muito pelas cidades e pelo que as une», adiantou.

A XVIII Assembleia Geral da UCCLA, que teve início quinta- feira na Cidade da Praia, é transferida sábado para a Cidade do Mindelo, onde se procederá à abertura da Capital Lusófona da Cultura, que terá vigência de um ano.

A UCCLA foi criada em 1985 por oito cidades lusófonas, mas o número de membros quase triplicou ao longo dos anos.

As cidades participantes na reunião da Cidade da Praia são Príncipe e Água Grande (de São Tomé e Príncipe), Bissau, Bolama e Cachéu (Guiné-Bissau), Luanda e Huambo (Angola), Praia e Mindelo (Cabo Verde), Lisboa e Guimarães (Portugal), Maputo e Ilha de Moçambique (Moçambique), Rio de Janeiro (Brasil), Díli (Timor-Leste) e Macau (China).

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem