As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
«Ritmos e Afectos de África» em Lisboa
- 30-Nov-2002 - 14:58

«Muxima», que para os angolanos significa «coração», é o mote do ciclo de música africana a iniciar amanhã no Fórum Fnac Chiado, em Lisboa, com uma dezena de concertos de várias latitudes da cena musical de África.

Para celebrar os ritmos e afectos daquele continente, o ciclo apresentará ao vivo no auditório da Fnac Chiado nomes como Maria Alice, que editou recentemente «Lágrima e Súplica», e Ildo Lobo, ambos de Cabo Verde, Guto Pires, da Guiné-Bissau, e Lindu Mona, de Angola.

Esta não é uma iniciativa inédita na Fnac Chiado, já que em 2001 foi organizado o «Musidanças», dedicado apenas à música da África lusófona.

De acordo com Miguel Neves, do departamento de comunicação da Fnac Chiado, o ciclo «Muxima» é mais abrangente, porque alarga o leque de convidados do continente africano.

Apesar do predomínio de artistas dos países africanos de língua oficial portuguesa, o ciclo integra um concerto da lendária Orchestra Baobab, do Senegal, formada em 1970, com um estilo que misturava o «pachanga» e os sons de Cuba com as musicalidades do Senegal.

O ciclo, que decorrerá até ao dia 15, com concertos sempre ao final da tarde, contará também com a presença do grupo cabo- verdiano Netas di Bibinha Cabral, que venceu este mês o primeiro Concurso de Música Tradicional Africana, em Lisboa.

Composto por 17 mulheres, maioritariamente da ilha de Santiago, o grupo dedica-se exclusivamente ao batuque.

Lura (Cabo-Verde), Serenata Luanda (Angola), Djumbai Jazz (Guiné-Bissau) e Genitho Rasta (Moçambique) são quatro outros nomes que estarão presentes neste ciclo.

Apesar de os concertos dominarem a programação, a iniciativa arranca amanhã com um colóquio, com convidados de diversas áreas ligadas à música africana em Portugal, tema que dominará o debate.

Durante as duas semanas deste ciclo estará patente a exposição fotográfica «For Ever Lives Afrika», dedicada ao músico nigeriano Fela Kuti, falecido em 1997 e considerado a grande influência do «afrobeat».


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem