As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Primeiro-ministro questiona dinheiro gasto pela oposição
- 18-Mar-2004 - 17:54

O primeiro-ministro de Cabo Verde questionou hoje, enquanto presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), a origem do dinheiro das "campanhas luxuosas" que a oposição está a fazer para as autárquicas do próximo domingo.


José Maria Neves referia-se ao principal partido da oposição, o Movimento para a Democracia (MpD), que, nos últimos dias, pela voz de alguns destacados apoiantes, acusou o governo de estar a financiar, com dinheiro público, a campanha dos candidatos do PAICV.

Na segunda-feira, o governo de José Maria Neves anunciou um processo crime contra o presidente da câmara de Ribeira Grande (Santo Antão), Jorge Santos, autor das acusações, e este respondeu, um dia depois, na a mesma moeda.

José Maria Neves explicou que o PAICV fez um empréstimo bancário de 36 mil contos cabo-verdianos (326 mil euros) para a campanha, mas que o MpD não contraiu nenhum empréstimo e não se tem poupado a gastos.

"Podem-se ver partidos a mudar +outdoors+ durante a campanha e a acusar outros de esbanjamento. Acho que não são mais doque temas da campanha e que devemos distinguir o trigo do joio", defendeu.

O presidente do PAICV e primeiro-ministro recusou ainda qualquer ilação a tirar dos resultados de domingo face às legislativas previstas para o início de 2006.

"Os cabo-verdianos vão analisar estas eleições e votar de acordo com as propostas, diferenciando muito bem entre as autárquicas e as legislativas", sustentou, depois de elementos do MpD terem enfatizado que os resultados das autárquicas vão ser uma indicação clara da "derrota do PAICV nas legislativas".

Neves lembrou ainda que "o governo tem maioria no Parlamento, está tranquilo e as legislativas vão ser só daqui a dois anos".

Estas declarações foram feitas após uma visita do primeiro-ministro ao Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSI), que está a preparar, em conjunto com a Direcção Geral da Administração Eleitoral (DGAE) e a Comissão Nacional de Eleições(CNE), o sistema informativo de agrupamento e divulgação dos resultados.

José Maria Neves salientou ainda que nestas eleições os resultados serão conhecidos com maior celeridade.

"Com a tecnologia actual, estas serão as eleições mais livres e transparentes e bem organizadas realizadas nos últimos anos. Não haverá lugar a qualquer tipo de desvio e fraude. Os eleitores podem estar disso seguros", disse, sublinhando que "Cabo Verde está a atingir a maturidade democrática".


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem