As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Exemplo dos jornalistas liberianos no Dia Mundial Liberdade Imprensa
- 3-May-2004 - 20:00

Na Libéria, país que viveu largos períodos de guerra nas últimas décadas, os jornalistas ganham 15 euros por mês, mas assumem a sua independência face ao poder político e económico "em nome do sofrimento passado".


Malcolm Joseph dirigente da União dos Jornalistas da Libéria (UJL) e da África Ocidental (UJAO), deixou, hoje, em Cabo Verde, onde esta sub-região africana comemora o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, um exemplo em como é possível manter a "coerência e a independência" em nome daquilo que esperam que seja a sociedade liberiana no futuro.

De acordo com o jornalista, o "combustível" para o empenho e a convicção com que "todos os dias partem para o trabalho" é o "imenso sofrimento com que viram o povo - e eles próprios - confrontar-se" durante largos anos de guerra fratricida.

Depois de uma difícil reunificação dos jornalistas ao serviço do governo e dos rebeldes, após uma guerra que fez 200 mil mortos e meio milhão de deslocados, Malcolm Joseph garantiu que os jornalistas liberianos são "um exemplo para o mundo" na "aceitação do sofrimento e de recusa da corrupção" por puro altruísmo.

O ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, hoje refugiado na vizinha Nigéria, conta Malcolm Joseph, tinha os seus próprios órgãos de comunicação social, televisão, rádio e jornais, que controlava totalmente, passando-se o mesmo com os rebeldes, nomeadamente do LURD (Liberianos Unidos para a Reconciliação e Democracia).

Foi depois deste cenário de evidente separação e profunda divisão que a União dos Jornalistas da Libéria efectuou um intenso trabalho de reunificação.

Com o exílio de Taylor na Nigéria, em 2003, Malcolm Joseph afirmou hoje que os profissionais liberianos são os "mais unidos de todo o continente", tendo claro como objectivo "não ceder em nome do sofrimento passado e do que se exige ser a futura sociedade liberiana".

E assumem ainda outro objectivo com igual convicção: "Nenhum crime cometido contra a humanidade durante os conflitos liberianos ficará impune, bem como todas as atrocidades", garantiu Joseph.

Tudo isto, frisou o jornalista, perante um cenário de "evidente incapacidade" para sustentar as famílias e a eles próprios com menos de 20 dólares norte-americanos por mês.

O testemunho de Malcolm Joseph e de outros jornalistas, nomeadamente da Guiné-Bissau, Costa do Marfim e Serra Leoa foram apresentados no seminário organizado pela Associação de Jornalistas de Cabo Verde e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), comemorativo do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, sob o lema "A Liberdade de Imprensa em Cenários de Conflito".


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem