As Notícias do Mundo Lusófono
 
Tudo sobre o Mundo Lusófono Votar à página principal
     Última Hora:

 
          em   
 


 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Lorosae
 » Comunidades
 » CPLP

 « Arquivo »

 


 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Manchete


Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 


 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios





 
  news  
Revista «Sábado» aposta na política, sociedade, segurança e economia
- 5-May-2004 - 20:18

A "newsmagazine" Sábado, que o grupo Cofina vai lançar sexta-feira no mercado português, quer apostar sobretudo nas áreas de política, economia, segurança e sociedade, afirmou hoje o director João Gobern.


"Em princípio a aposta é dentro das áreas de política, economia, segurança e sociedade, nas quais queremos ter sempre belas histórias", referiu o responsável, admitindo que "o destaque pode ser dado a qualquer secção consoante a relevância do artigo".

A nova revista irá também apostar "na grande reportagem e no jornalismo de investigação", sublinhou João Gobern, lembrando que, além da própria equipa da Sábado, a "newsmagazineÈ pode contar ainda "com a colaboração de jornalistas das restantes publicações do grupo".

A Cofina detém, entre outros títulos, o Correio da Manhã, o Record, o Jornal de Negócios, a Máxima e a TV Guia.

"Com excepção do Correio da Manhã, cujo director João Marcelino é também director editorial da Sábado, os outros directores [que fazem parte do conselho editorial da "newsmagazine"] têm publicações perfeitamente segmentadas", lembrou João Gobern, negando a possibilidade de haver sobreposição de temas.

"Nada impede [os jornalistas] de ter boas histórias sobre outras áreas além das suas, mas também existe um compromisso para disponibilizar pessoas que possam fazer peças mais aprofundadas para a Sábado", acrescentou.

Na arrumação da revista, as primeiras páginas são dedicadas a pequenas rubricas com notícias de última hora e revisões da semana anterior, revelou João Gobern, adiantando que, "a seguir, surge uma secção com notícias em primeira mão que dá pelo nome de "Indiscreto".

O "Destaque" é a secção seguinte, sendo que terá o formato de dossier e poderá versar sobre qualquer área, desde que sejam escolhidas as melhores histórias da edição.

A páginas seguintes serão dedicadas a entrevistas, sendo que, numa semana, a autoria será da jornalista Ana Sousa Dias, e noutra, a entrevistadora será a editora de política da Antena 1, Maria Flor Pedroso.

As duas semanas restantes contarão com entrevistas retiradas das publicações com que a Sábado tem acordos de exclusividade - normalmente sobre o "show business" - e as elaboradas pela redacção e direcção da revista.

Até à zona central da publicação surgem ainda as secções "Portugal", "União Europeia" e "O Mundo".

Nas 16 páginas centrais, a rubrica "Primeira Escolha" sugere 40 itens "do melhor que se pode ter, desde filmes, a sapatos, passando por concertos, gastronomia ou relógios", disse.

As secções seguintes dão pelos nomes de "Dinheiro", "Segurança", "Sociedade" - na qual são incluídos temas de comportamento, saúde ciência e tendências -, "Família" e "Social", com o que "tivemos a preocupação de tratar para uma "newsmagazine".

Por último surgirão as secções de "Desporto" e "Artes", rematou o director.

A revista conta ainda com áreas de opinião, das quais João Gobern destacou o debate entre Pedro Santana Lopes e José Sócrates, "num modelo que assumimos ter sido copiado, e bem, do debate que a RTP tinha" com os mesmos nomes.

Escusando-se a referir o tema do primeiro número da Sábado, João Gobern adiantou apenas que "será um pequeno mimo para quem escolhe citações" nas outras publicações.


Voltar

Ver Arquivo

 
 
Participe na Lista de discussão sobre a Lusofonia
 
  Copyright © 2002 Notícias Lusófonas | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos |
design e programação