As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Educação nos países lusófonos distante das metas do Fórum de Dacar
- 26-May-2004 - 18:53

O ministro da Educação do Brasil, Tarso Genro, disse hoje, na abertura da V Conferência dos Ministros da Educação da CPLP, que a educação na comunidade está longe das metas estabelecidas no Fórum Mundial de Dacar.


Por Carla Mendes
da Agência Lusa

"O estado da situação da educação na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) está distante das metas de Dacar, apresentando grande assimetria intra-bloco", afirmou.

Os trabalhos técnicos que antecederam a reunião ministerial mostram que, à excepção de Portugal, o acesso universal à educação ainda é o maior desafio dos países da CPLP.

Em Timor-Leste, o analfabetismo atinge mais de 50 por cento da população adulta e 25 por cento das crianças e jovens entre os seis e 16 anos não frequentam a escola.

Em Angola, a guerra de quase quatro décadas destruiu o sistema educacional e milhares de pessoas permanecem analfabetas e sem qualificação profissional.

No Brasil, apesar do avanço registado nos últimos anos, ainda há 20 milhões de jovens e adultos que não sabem ler e escrever.

Entre as metas estabelecidas em Dacar, no encontro mundial realizado na capital senegalesa, em Abril de 2000, estão a de alcançar, até 2015, uma melhoria de 50 por cento nos níveis de alfabetização de adultos e assegurar que todas as crianças tenham acesso à educação primária, gratuita e de boa qualidade.

Tarso Genro destacou que a cooperação entre os países da CPLP "esteve adormecida nos últimos anos" e é necessário relançá-la e definir uma "política de língua portuguesa que dê ao idioma a dimensão que lhe cabe".

O secretário-executivo adjunto da CPLP, Zeferino Martins, que assumiu interinamente o cargo de secretário- executivo da organização após a morte de Augusto de Médicis, em Abril passado, destacou na abertura da reunião ministerial que "os mais ferozes inimigos da comunidade são o analfabetismo, a evasão escolar e a falta de acesso adequado da juventude à informação e à cultura".

O moçambicano Zeferino Martins referiu que a moderna sociedade da informação e as novas tecnologias ampliaram de forma significativa o fosso entre aqueles de detêm o conhecimento e o restante da humanidade.

"Somente com mais educação poderemos assegurar uma inserção competitiva no mundo actual", destacou.

Zeferino Martins considerou como um dos maiores avanços da reunião dos ministros da Educação da CPLP a proposta de que o acordo ortográfico entre em vigor, mesmo sem a ratificação de todos os membros da comunidade, permitindo também a adesão de Timor-Leste.

Apenas Brasil, Cabo Verde e Portugal já ratificaram o acordo, assinado em Dezembro de 1990, em Lisboa.

"Precisamos agir de forma vigorosa em prol da entrada em vigor do acordo ortográfico, não apenas como incentivo ao intercâmbio literário e cultural, mas sobretudo de modo a permitir uma ampla circulação do livro didáctico e científico nos nossos países", afirmou.

Participam da reunião ministerial, que hoje decorre em Fortaleza, todos os ministros da Educação dos oito países da CPLP - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Portugal está representado pelo ministro da Educação José David Gomes Justino e pelo secretário de Estado adjunto do Ministério da Ciência e do Ensino Superior, Jorge Moreira da Silva.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem