As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Ministros abordam em Bissau criação de força de manutenção de paz
- 27-May-2004 - 17:02

A Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) poderá criar uma força de manutenção de paz, uma ideia a abordar na VII reunião dos ministros da Defesa da organização, que decorre segunda e terça-feira em Bissau.


Fonte governamental guineense admitiu hoje à Agência Lusa que a questão não consta dos trabalhos da reunião, mas que será abordada à margem do encontro, destinado a fazer um balanço da cooperação entre os oito Estados membros da comunidade.

Presentes estarão todos os ministros da Defesa dos países da CPLP - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste - que analisarão também formas de aprofundar a cooperação técnico-militar, através dos respectivos Estados-Maiores das Forças Armadas.

No final do encontro, os ministros, entre eles o português Paulo Portas, aprovarão a "Declaração Final" do encontro de Bissau, que sucede ao realizado em Maio de 2003 em S. Tomé e Príncipe.

Segunda-feira de manhã, a sessão de abertura será presidida pelo chefe de Estado guineense, Henrique Rosa, que, antes do seu discurso, assistirá à "passagem de testemunho" da presidência rotativa do colectivo do ministro da Defesa são- tomense, Ÿscar Aguiar de Sousa, para o seu homólogo guineense, Daniel Gomes.

Paralelamente à reunião, as oito delegações serão recebidas em audiências separadas por Henrique Rosa, pelo presidente do parlamento, Francisco Benante, e pelo primeiro- ministro Carlos Gomes Júnior e farão ainda uma visita à Fortaleza da Amura, sede do Ministério da Defesa, para uma homenagem junto ao túmulo de Amílcar Cabral, "pai" das independências da Guiné- Bissau e Cabo Verde.

Em relação ao ministro da Defesa português, fonte oficial indicou que, à margem do encontro, Paulo Portas e restante comitiva terão encontros com várias personalidades dos órgãos de soberania.

Paulo Portas, que chega domingo a Bissau num avião "Falcon" da Força Aérea Portuguesa (FAP), terá à sua espera uma fragata da Marinha de Guerra de Portugal, que ficará ao largo da capital guineense, disse fonte diplomática portuguesa.

O ministro da Defesa português, que regressa terça-feira à tarde a Lisboa, receberá na fragata o chefe de Estado da Guiné- Bissau e oferecerá um jantar aos seus homólogos da CPLP, na presença do presidente do Parlamento guineense, Francisco Benante.

Presentes no encontro estarão delegações ministeriais e, em relação à portuguesa, Paulo Portas faz-se acompanhar pelo Director-Geral de Política de Defesa Nacional, general José Luís Pinto Ramalho, pelo seu chefe de gabinete, Manuel Brandão, e pelos assessores diplomático, Paulo Lourenço, e de imprensa, Miguel Guedes.

A delegação de Angola, chefiada pelo ministro da Defesa Kundi Paihama, é a maior que se desloca a Bissau, com 13 elementos, entre eles os directores nacionais de Relações Internacionais, general André Mendes de Carvalho "Miau", dos Serviços de Inteligência, general António José Maria, e de Política de Defesa Nacional, Jerónimo Ukuma "Regresso".

O Brasil estará representado pelo ministro da Defesa, o almirante de esquadra Miguel Ângelo Davena, que será acompanhado pelo embaixador brasileiro em Bissau, Artur Correa Mayer, e por um alto oficial das Forças Armadas.

De Cabo Verde virá o titular da pasta da Defesa Armindo Cipriano Maurício, acompanhado por um alto funcionário do ministério.

Moçambique estará representado pelo respectivo ministro da Defesa, Tobias Joaquim Daí, e mais quatro altos funcionários, entre eles o Director nacional de Política de Defesa, brigadeiro Paulino José Macaringue.

De São Tomé e Príncipe, além do ministro Óscar Aguiar e Sousa, virão também o comandante da Guarda Costeira, tenente- coronel Justino Lima, o Procurador Militar, intendente Francisco Lima, e o director de Política de Defesa Nacional, capitão Armindo Silva.

Timor-Leste estará representado apenas pelo secretário de Estado da Defesa, Roque Rodrigues, enquanto a delegação da Guiné- Bissau, a anfitriã, será chefiada pelo ministro da tutela, Daniel Gomes.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem