As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
37% dos cabo-verdianos
(sobre)vivem na pobreza

- 31-May-2004 - 9:15


Santo Antão surge como a segunda ilha mais pobre do país, representando 16 por cento do total nacional. E na ilha de cada 100 pessoas 54 são pobres

Cerca de 172 mil cabo-verdianos (37 por cento da população) são pobres, dos quais 92 mil são considerados muito pobres, vivendo com menos de 100 escudos por dia. Os dados são do “Perfil da Pobreza”, documento que o Instituto Nacional de Estatística começa a apresentar ao público a partir de hoje. A ilha de Santiago, quase sem surpresa, alberga maior número de pobres, 95 mil, representando 55 por cento do total de desafortunados em Cabo Verde.


O INE começa a apresentar hoje os dados sobre o Perfil da Pobreza em Cabo Verde, recolhido do Inquérito às Receitas e Despesas Familiares. O documento, que será divulgado por fases, traz revelações surpreendentes, sobre as características económicas da população e a geografia da pobreza no arquipélago.

Por exemplo, o INE constatou que 37 por cento da população nacional é pobre, o que equivale a pouco mais de 172 mil cabo-verdianos. Desse total, cerca de 92 mil são considerados muito pobres, vivendo com apenas 79 escudos por dia (cerca de 29 contos por ano). Os pobres “normais”, cerca de 79 mil, vivem com 118 escudos por dia e menos de 43 contos por ano.

A ilha de Santiago, quase sem surpresa, alberga maior número de pobres, 95 mil, representando 55 por cento do total de desafortunados em Cabo Verde. E, de acordo com o Perfil da Pobreza, do total de míseros em Santiago, 50 mil são muito pobres e 45 mil são considerados pobres. Só na cidade da Praia existem 22 mil pobres (20 por cento da população da cidade) e 8 mil ”muito pobres” (8%).

No contexto nacional, Santo Antão surge como a segunda ilha mais pobre do país, representando 16 por cento do total nacional. E na ilha de cada 100 pessoas 54 são pobres.

Estes são apenas alguns dados que constam do Perfil da Pobreza, instrumento que o INE começa a apresentar a partir desta segunda-feira. O documento vai ser enviado à Direcção Geral do Planeamento que o incluirá no programa de estratégia para a redução da pobreza (PRSP) em Cabo Verde.

Segundo o presidente do INE, Francisco Tavares, o Perfil da Pobreza surge do Inquérito às Despesas e Receitas Familiares e “vem aprofundar as características sócio-demográficas e económicas da população, assim como a incidência, a profundidade e a gravidade da pobreza em Cabo Verde. O Perfil desenvolve ainda uma análise detalhada sobre as desigualdades e os determinantes directos da pobreza”.

Em suma, de acordo com Francisco Tavares, o perfil da pobreza acaba por ser uma síntese de vários temas, como a situação nutricional da população, as condições de habitação e o acesso aos equipamentos e serviços colectivos, as características económicas da população e o rendimento e despesas dos agregados familiares assim como as características sócio-demográficas dos agregados familiares.

Também hoje será anunciado o arranque da recolha de dados para a elaboração da primeira Carta Social de Cabo Verde. O inquérito será efectuado entre 1 de Junho e 1 de Julho por inquiridores formados recentemente para o efeito e técnicos do INE, que surge aqui como parceiro da Direcção Geral da Solidariedade Social, a promotora da iniciativa.

O trabalho de recolha dos dados – inclui o levantamento dos equipamentos e serviços sociais existentes no país – envolve 43 inquiridores e 6 supervisores. Está orçado em cerca de oito mil contos, financiados pelo Ministério da Segurança Social de Portugal, no âmbito do protocolo de cooperação bilateral assinado com o Ministério do Trabalho de Cabo Verde.

Hermínio Silves
In A Semana On Line


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem