As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
«Todos devem unir-se na luta contra terrorismo», diz ministro guineense
- 31-May-2004 - 17:53

O ministro da Defesa da Guiné- Bissau defendeu hoje que todas as organizações de segurança internacionais devem unir-se na luta contra o terrorismo, incluindo nesse combate os exércitos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).


Daniel Gomes, que falava na cerimónia de abertura da VII Reunião dos Ministros da Defesa da CPLP, que decorre até terça- feira em Bissau, sustentou que existem actualmente ameaças globais, como o terrorismo e a droga, que devem ser combatidas em conjunto.

"Torna-se imperativo que exista uma cooperação mais estreita quer a nível bilateral quer multilateral para combater esses males e a CPLP pode ajudar nessa luta", afirmou, sustentando que é necessário que a cooperação entre os oito Estados membros da comunidade se aprofunde.

Daniel Gomes, que assumiu hoje a presidência rotativa da reunião, salientou que, no domínio da Defesa e Segurança, a CPLP já deu "alguns passos importantes", destacando que estão lançadas as bases para uma cooperação mais estreita.

"Já existe cooperação entre os Estados-Maiores dos ®Oito¯, quer a nível da formação, quer no apoio à ajuda humanitária e às forças de manutenção de paz", sublinhou o ministro guineense.

Como exemplo "mais flagrante", Daniel Gomes destacou a forma como a CPLP se posicionou durante o conflito político- militar que assolou a Guiné-Bissau em 1998 e 1999, lembrando que os então chefes da diplomacia de Portugal, Jaime Gama, e Angola, o já falecido Venâncio de Moura, foram determinantes para a obtenção de consensos.

"Portugal enviou, entre outros meios, fragatas e salvou milhares de vidas e o nosso contingente militar destacado na Libéria (650 soldados) tem o apoio de Portugal e de Angola", acrescentou.

Por seu lado, o presidente cessante do encontro, o ministro da Defesa são-tomense, Ÿscar Aguiar e Sousa, acentuou que o mundo está actualmente em "profundas transformações e com inúmeros conflitos", pelo que "todos se devem preocupar com o actual "clima de instabilidade".

"Preocupa-nos o clima de instabilidade. O terrorismo está tão sofisticado e é uma ameaça grave à nossa civilização, sobretudo aos pequenos países, que, sendo mais vulneráveis, acabam por estar mais expostos", afirmou o ministro são-tomense.

Nesse sentido, Ÿscar Aguiar e Sousa sublinhou que a cooperação entre todos os blocos, incluindo o da CPLP, pode fazer face ao terrorismo.

Sobre o encontro de Bissau, o ministro são-tomense lembrou que os 12 meses da sua presidência constituíram a "consolidação" das relações de cooperação, pelo que, na VII reunião, deve-se apostar em acções "ainda mais concretas" para desenvolver a cooperação.

"No último ano, consolidámos as relações de cooperação com acções concretas: os exercícios militares ®Felino¯, a criação da sede do Secretariado Permanente da organização em matéria de Defesa e a reunião das chefias militares (realizada em Abril último) em Cabo Verde", recordou.

Para Ÿscar Aguiar e Sousa, a ideia do encontro é "continuar a projectar a CPLP" nos meios internacionais, contando, para tal, com o apoio das Nações Unidas e de outras organizações mundiais.

Na VII reunião dos ministros da Defesa da CPLP participam os titulares desta pasta de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe e ainda o secretário de Estado da Defesa de Timor-Leste.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem