As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Guineenses e cabo-verdianos unidos na produção agrícola
- 7-Jun-2004 - 9:31

Na Guiné-Bissau não é necessário muito esforço para que a terra produza. Com excepção das sementes o resto a natureza dá em abundância. É aproveitando essa realidade, e um mercado crescente, apesar do baixo poder aquisitivo, que um grupo de cabo-verdianos e guineenses se juntou para avançar com uma empresa de produção de legumes e frutas, a Ecofruta.


Criada no ano passado, em Nhacra, a 35 km de Bissau, a empresa funciona num sistema de cooperativa, apostando em frutas e tubérculos numa extensão agrícola de quase 300 hectares.

O administrador da empresa, o cabo-verdiano António Silva Monteiro, diz que neste momento a empresa tem “100 hectares de cajueiros em plena produção”.

Os sócios planeiam expandir o negócio mas esbarram na questão de financiamento e de mercado.

Em termos de financiamento, o país está a reerguer-se de uma situação em que deixou de ter estruturas que permitam financiar iniciativas como essas. O que, entretanto, não parece abalar a determinação dos sócios da Ecofruta em prosseguir com o projecto.

Mas, para isso, depende do mercado que, em termos internos é limitado para os seus sonhos. Tendo sido “a primeira empresa privada a exportar para Portugal e Cabo Verde”, a Ecofruta pretende continuar nessa vertente. Para isso os seus sócios sonham com uma ligação marítima entre Guiné-Bissau e Cabo Verde, uma preocupação já apresentada às autoridades cabo-verdianas.

Se esse impedimento vier a ser ultrapassado, o futuro da Ecofruta está garantido, deixa entender o seu administrador, António Monteiro. Sobretudo porque, em termos da qualidade do produto, “a Guiné-Bissau já conta com um laboratório de análise fitossanitária” que pode dar o selo de garantia para o seu produto entrar no mercado cabo-verdiano e não só.

Fonte: A Semana on line


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem