As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Governo apresenta proposta para reduzir salários dos deputados
- 28-Jul-2004 - 19:18


O governo guineense apresentou hoje no Parlamento uma proposta para baixar significativamente os salários dos 100 deputados, numa iniciativa que causou o espanto na oposição, que exige explicações sobre a medida.


A proposta foi apresentada pelo ministro da Economia e Finanças guineense, João Fadiah, e insere-se no esforço do executivo para reduzir a despesa pública e cumprir o orçamento de emergência que vigorará até ao fim deste ano e que está actualmente em discussão na Assembleia Nacional Popular.

Em declarações à Agência Lusa, o conselheiro técnico principal do ministro, Suleimane Seidi, explicou que a proposta de redução dos salários dos deputados, já aceite pelo presidente do parlamento, Francisco Benante, prevê a redução em quase 40 por cento dos vencimentos.

Com o mesmo objectivo, disse a fonte, a Presidência da República e o governo, nomeadamente o primeiro-ministro, já aceitaram cortes nos respectivos orçamentos.

O presidente Henrique Rosa, assegurou a fonte, aceitou reduzir o seu salário mensal de 3,6 milhões de francos CFA (5.500 euros) para 900 mil FCFA (1.375 euros), o que representa uma redução de 75 por cento, disse.

Mais longe, foi o primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, que impôs a si próprio uma redução de 80 por cento do seu salário mensal, passando a auferir 500 mil FCFA (765 euros), em vez dos 2,5 milhões CFA (3.820 euros) anteriores.

Segundo Seidi, há já um "problema grave" que terá de ser rapidamente solucionado, uma vez que os deputados aprovaram o orçamento da ANP logo nas primeiras sessões, no início deste mês, cujo montante ascendeu a 1.500 milhões FCFA (2,3 milhões de euros).

Tudo seria normal, acrescentou, se os deputados tivessem aprovado o pacote de despesas e salários, mas só depois de aprovado o Orçamento Geral do Estado (OGE) que afecta um envelope financeiro de 444 milhões FCFA (290 mil euros) até 31 de Dezembro próximo (74 milhões FCFA/mês - 113 mil euros/mês).

Segundo a proposta, todas as despesas extra, nomeadamente deslocações e ajudas de custo, serão suportadas "em princípio" pelo Ministério da Economia e Finanças, que dispõe, para o efeito, de uma verba mensal de 53 milhões de FCFA (81 mil euros).

A ideia desta reforma consiste, segundo Seidi, em "harmonizar" as despesas, "diminuindo os salários a quem recebe muito" e "aumentando os que recebem pouco".

"Não é justo ser apenas a população a sofrer. Os políticos têm também de dar o exemplo", sublinhou o conselheiro técnico principal de João Fadiah.

Quanto ao salário mínimo da Função Pública, referiu, vai manter-se nos actuais 15.900 FCFA (24,27 euros), embora a reestruturação de todo o sector preveja a privatização dos serviços considerados "auxiliares".

Desta forma, acrescentou, pretende-se diminuir a taxa de emprego na Função Pública da Guiné-Bissau, a mais alta da África Ocidental (18 por cada mil), tentando, aos poucos, reduzi-la para os níveis médios dos Estados membros da União Económica e Monetária Oeste Africana (UEMOA), actualmente em seis por cada mil.

Questionados pela Agência Lusa sobre a proposta de redução de salário dos parlamentares, deputados das diferentes bancadas, incluindo do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC, no poder), não quiseram pronunciar-se, alegando que terão primeiro de analisá-la.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem