As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Lula exige democratização do Conselho de Segurança da ONU
- 29-Jul-2004 - 16:35


O presidente brasileiro exigiu hoje a "democratização do Conselho de Segurança" das Nações Unidas numa intervenção na Assembleia Nacional (parlamento) de Cabo Verde.


"As decisões do Conselho de Segurança têm de reflectir a vontade da maioria dos países membros das ONU", afirmou Luiz Inácio Lula da Silva perante os deputados cabo-verdianos, sublinhando que "só assim as suas decisões serão legítimas e respeitadas".

Lula da Silva aproveitou a ocasião para agradecer o apoio de Cabo Verde à "aspiração brasileira de ocupar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU", reafirmando que a ordem internacional desejada pelo Brasil, "justa e equitativa", tem que ser "baseada no multilateralismo".

Num discurso marcado pela defesa dos menos favorecidos do mundo, o Presidente brasileiro disse ainda que a "participação efectiva" dos países em desenvolvimento é essencial para "assegurar a paz e a segurança".

E deixou claro que o Brasil está preparado para "assumir mais esta parcela de responsabilidade", numa referência ao desejo de ter um assento permanente no Conselho de Segurança.

"Apoiamos o Secretário-Geral da ONU - Kofi Annan - quando ele defende um novo pacto nas Nações Unidas, que recoloque a organização no centro dos debates sobre a paz e a segurança internacionais", realçou.

Lembrou a propósito as ameaças que persistem em países como o Sudão, República Democrática do Congo ou a Costa do Marfim, para frisar que, como no Haiti, onde o Brasil protagonizou um papel importante na consolidação da paz, "é preciso um esforço colectivo e sustentado das instituições multilaterais para responder a crises complexas e aparentemente insolúveis".

Numa referência aos "sucessos" da economia brasileira desde que chegou ao poder, lembrou que só em Junho último a produção industrial do país "cresceu mais do que ao longo de todo o ano de 2002", que o comércio está em franca expansão e que o Brasil encontrou "a rota do crescimento".

Mas um crescimento "sustentável e duradouro", centrado na "geração de empregos e na distribuição da renda", porque "o objectivo não é apenas fazer crescer o PIB, mas sim resgatar a imensa dívida social do Brasil", destacou.

Sobre África, voltou a defender uma nova cooperação com o continente porque, disse "não se pode relegar para segundo plano o flagelo da escassez e da pobreza que aflige mais de um bilião de pessoas em todo o mundo".

"Queremos levar à comunidade internacional essas palavras de alerta, mas também de solução" para os problemas, sustentou, concluindo que "a fome é a maior arma de destruição em massa que ameaça a humanidade".


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem