As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Jorge Santos quer mais mulheres no partido, o MpD
- 11-Sep-2004 - 17:43


Com a sala de conferência de um dos hotéis da cidade da Praia abarrotado de apoiantes e amigos, Jorge Santos oficializou, ontem à noite na cidade da Praia, a sua candidatura à liderança do Movimento para a Democracia, MpD.


Uma candidatura assente na necessidade não só de reforçar a capacidade de intervenção daquela força política em todas as regiões do país, mas de atrair mais competências femininas e jovens para as estruturas partidárias.

Santos e o movimento que o apoia querem ver um MpD “forte, com visão de futuro e a ambição de transformar Cabo Verde num país onde impera a democracia, a justiça social e o bem-estar para todos os seus filhos”.

Para isso, o próximo líder daquele partido tem de ser dinâmico e mobilizador, pessoa conhecedora dos problemas de todos os municípios, militante que gosta do combate político, assim como um dirigente que defende o interesse da população cabo-verdiana.

Perfil este no qual, conforme o ex-ministro Mário Silva, Jorge Santos enquadra-se na perfeição já que, ao desempenhar o cargo de presidente da Associação dos Municípios de Cabo Verde, o ex-autarca teve a oportunidade de conhecer com propriedade a realidade da país.

Uma experiência que permitiu àquele candidato verificar que a mulher cabo-verdiana precisa preencher no sistema político o espaço importante que ocupa nos sectores económico e sócio-educativo deste país.

Nesta perspectiva, Santos ambiciona desde logo apresentar “uma lista que contemple um número significativo de mulheres nos órgãos do partido”.

Caso seja eleito, aquele candidato promete também organizar um encontro com os quadros, militantes e simpatizantes do MpD, para que este partido obtenha contribuições técnicas nos diversos sectores, pois “nenhuma política pública pode ter consistência sem uma adequada fundamentação técnica”.

Santos deseja, ainda, convocar a segunda convenção daquela força política em 2005, para discutir e aprovar a “segunda vaga de descentralização em Cabo Verde, medida imprescindível em qualquer reforma séria e consequente do Estado cabo-verdiano”.

Àqueles que prognosticam mais uma rotura no MpD durante a Convenção de Novembro em consequência das múltiplas candidaturas previstas, o ex-autarca da Ribeira Grande anunciou que ele e o grupo que o apoia mobilizarão os militantes para apoiarem de forma incondicional qualquer que seja o líder eleito. Apelou mesmo à lealdade e à solidariedade dos ventoinhas, pois um “partido moderno é também um espaço de convivência e afectos”.

Além do mais, aquele candidato deseja ver um MpD aberto à sociedade civil, um partido que reconheça a todos os militantes o direito à diferença e dentro do qual se pratique o princípio da não-exclusão.

Recado claro para aqueles que vêem na sua candidatura uma “forma de assalto ao poder”, após um longo período afastado da militância partidária.

Mensagem ouvida por algumas personalidades influentes da sociedade cabo-verdiana, militantes, amigos e dirigentes do MpD, nomeadamente os ex-governantes Mário Silva, José Pinto Monteiro e Victor Osório, o economista Olavo Correia, Pedro Alexandre, o deputado José Luís Santos.

Nesse grupo de pessoas presentes ao acto de apresentação da candidatura de Jorge Santos não estava, entretanto, nenhum dos autarcas do MpD. Notou-se, sobretudo, a ausência do presidente da Câmara do Paul, Américo Silva, tido como um apoiante da lista do ex-colega autarca.

Fonte: A Semana/João Almeida Medina


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem