As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Veríssimo Seabra e Domingos Barros foram executados com tiros na nuca
- 20-Oct-2004 - 20:04


O jornal “Semana On-line”, tido como próximo do Governo, diz que sabe de fonte oficial que Cabo Verde ofereceu asilo aos oficiais guineenses próximos do malogrado chefe do Estado-Maior das Forças Armadas guineenses, general Veríssimo Seabra.


O “P14” soube, por outra fonte, que o general e o coronel Domingos Barros, chefe da secreta militar, não morreram em qualquer refrega resultante do descontrolo duma situação de uso da força, mas friamente executados com tiros na nuca.

Emílio Costa, número dois de Veríssimo Seabra, mais os responsáveis dos três ramos das FA Watna Na Lai (Exército), Melcíades Fernandes (Força Aérea) e Quirino Spencer (Marinha) encontram-se, desde sexta-feira, nas respectivas residências, depois de terem recebido garantias quanto à sua segurança por parte das autoridades civis e militares do seu país.

“A Semana On-line” cita a sua fonte governamental para dizer que a situação na Guiné é extremamente complicada, delicada e confusa, daí a conclusão de que a crise que se abateu sobre o país ainda não se encontra de todo solucionada.

“Duas semanas depois da quartelada comandada pelo general Tagma Na Wai, um balanta próximo do ex-presidente Kumba Ialá, a ideia que se tem é que a Guiné-Bissau se encontra à beira duma guerra civil. Mais do que uma questão salarial, sabe-se que o movimento dos militares que ditou a morte de Veríssimo Seabra e do seu colaborador Domingos Barros é vista agora como uma decapitação deliberada de todos os oficiais não balantas das estruturas das FA”, diz a publicação.

E continua: “Além de serem todos balantas, os novos comandantes das FA são tidos como indivíduos pouco escolarizados, sem qualquer noção de como funciona um Estado de direito. Por isso, neste momento, há quem fale que o poder político está completamente sitiado, havendo quem tema pela vida do Presidente Henrique Rosa e do primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior.”

A possibilidade duma intervenção militar da CPLP na Guiné-Bissau não está descartada. Portugal desejá-la-ia ardentemente, tendo tido mesmo uma pequena frota “oportunamente” estacionada no Mindelo.

Mas os países africanos lusófonos só concordariam com essa intervenção se fosse a pedido da ONU ou da União Africana e fosse liderada por Angola. Cabo Verde assumiria, nesse caso, a parte da máquina civil do Estado. A comunidade internacional teria contudo, que dar garantias de que financiaria a desmobilização das pletóricas forças armadas guineenses.

Fonte Paralelo14/Manuel Delgado




Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem