As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Primeiro-ministro visita Portugal com os olhos postos na União Europeia
- 28-Nov-2004 - 18:42

O primeiro-ministro de Cabo Verde inicia na segunda-feira uma visita oficial de cinco dias a Portugal com a questão da obtenção de um estatuto especial para o arquipélago na União Europeia no topo da agenda.


Por Ricardo Bordalo
da Agência Lusa

Em entrevista à Lusa, José Maria Neves considera "Cabo Verde um país ocidental" com uma matriz cultural e religiosa resultante da influência europeia e com uma moeda de paridade fixa com o euro, para sustentar o objectivo da aproximação à União Europeia (UE), através de um estatuto especial.

Esta matéria vai estar no centro da visita a Portugal, que inclui encontros com o primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, António Monteiro, na terça-feira, segundo dia da deslocação.

Para a aproximação à UE, Cabo Verde conta claramente com a diplomacia portuguesa, sublinhando José Maria Neves que as expectativas depositadas nos esforços de Lisboa para que esse processo, "longo e complexo", dê os seus passos "estão a ser concretizadas".

"Portugal tem-se comportado à altura das expectativas quanto ao desígnio de Cabo Verde obter um estatuto especial junto da UE, tem procurado apontar as possibilidades que existem e as coisas estão a funcionar bem, vamos agora continuar esse trabalho que consideramos fundamental para o futuro de Cabo Verde", explica.

Como trunfo para esta estratégia, Neves lembra ainda que "existe uma comunidade cabo-verdiana muito importante na Europa", que a civilização é comum e as instituições políticas e económicas "tendem claramente para as referências europeias".

Com um programa de contactos vincadamente económico, José Maria Neves refere que "o Banco de Cabo Verde está a estudar, há muito tempo, a possibilidade de o país adoptar o euro como moeda".

"E eu tenho sido um dos principais estimuladores dos estudos que estão a ser feitos no Banco de Cabo Verde para definir a viabilidade da adopção do euro, sendo que, para mim, parece-me perfeitamente viável", afirma.

Realçando os "sucessos" no desenvolvimento de arquipélago ao longo dos 29 anos de independência, José Maria Neves considera que "Cabo Verde deve ser um orgulho para Portugal e para os portugueses".

"Portugal está na fundação desta República e Cabo Verde é um país de deu certo, a sua democracia funciona e está a desenvolver-se, há uma grande projecção de Cabo Verde no mundo e, por isso, deve ser um dos grandes orgulhos de Portugal e dos Portugueses".

O reforço das parcerias estratégicas com Portugal é outro dos objectivos definidos para a visita que inclui Lisboa, Porto, Setúbal e Coimbra.

Apesar de vincar a excelência das relações com Portugal, José Maria Neves admite que "há espaços para a melhoria das relações entre os dois países".

Portugal é um dos principais parceiros do arquipélago nos mais diversos domínios, os sectores estratégicos da sua economia resultam de parcerias entre Cabo Verde e as grandes empresas portuguesas.

A EDP e a ADP controlam a Electra (empresa de distribuição de energia eléctrica e água), na banca, a Caixa Geral de Depósitos domina grande parte do mercado, nas telecomunicações, a Portugal Telecom detém 51 por centro da Cabo Verde Telecom.

"No estado actual das relações entre Cabo Verde e Portugal há espaço, como países amigos, para os abraços e sorrisos alargados, mas também há problemas", como é o caso da Electra.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano reúne-se com o presidente do Conselho de Administração da EDP que, em conjunto com a ADP, detém 51 por cento do capital da Electra.

"Há alguns problemas que temos que ultrapassar", afirma José Maria das Neves em alusão ao encontro.

Em causa estão os investimentos que a Electra alegadamente não terá feito, apesar de inseridos no caderno de encargos da sua privatização, no final da década de 90 do século XX.

"Esta é a única parceria estratégica onde há mais problemas e temos que ultrapassar as questões, havendo vários cenários em discussão e, esperemos que até ao fim do ano haja um plano de investimentos para que a Electra possa funcionar sem problemas", disse.

Nos encontros com Santana Lopes, com o Presidente da República, Jorge Sampaio, e com o Presidente da Assembleia da República, Mota Amaral, Neves admite vir ainda a falar de questões relacionadas com a sub-região da África Ocidental, com destaque para a Guiné-Bissau.

"Naturalmente, enquanto membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), vamos procurar os contributos que os dois países podem dar no sentido da estabilização da Guiné-Bissau", país que vive uma situação de transição política desde o golpe de Estado de Setembro de 2003, e da sublevação militar de 06 de Outubro passado.

Sobre a comunidade cabo-verdiana em Portugal, Neves admite que há um esforço por parte das autoridades portuguesas no sentido de garantir a melhor integração dos cabo-verdianos.

"Embora haja problemas quanto à questão da legalização de algumas pessoas que estão em Portugal ilegais e há ainda questões que se prendem com a legalização de uma rádio comunitária em Portugal, mas essas matérias estão devidamente integradas no diálogo politico- diplomático", afirma.

Neves encontra-se também na quinta-feira com os responsáveis da Portugal Telecom, da Caixa Geral de Depósitos, da EDP, do Banco Português de Negócios, com o presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, e ainda com o ex-Presidente da República Mário Soares.

Na sexta-feira, último dia da deslocação, o primeiro-ministro cabo-verdiano, privilegia o Porto, onde se reúne, com o presidente da autarquia, Rui Rio, com o presidente da AEP, Ludgero Marques, e ainda com o presidente da Agência Portuguesa para o Investimento, Miguel Cadilhe.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem