As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Aplicação da cooperação com Cabo Verde será controlada, afirma Santana Lopes
- 30-Nov-2004 - 18:04


A aplicação do novo Programa Indicativo de Cooperação (PIC) entre Portugal e Cabo Verde será acompanhada de "instrumentos de monitorização e de acompanhamento no tempo para verificar a eficácia", afirmou hoje o primeiro-ministro português.


Numa conferência de imprensa conjunta, após um encontro com o seu homólogo cabo-verdiano, José Maria Neves, Pedro Santana Lopes classificou o novo programa como "inovador", quer no aspecto da monitorização, para assegurar a adequada aplicação das verbas, quer por estar em conformidade com convenções internacionais, nomeadamente com o Protocolo de Quioto, na área do ambiente.

Santana Lopes destacou ainda que o PIC, para o período 2005/2006, no valor de 55 milhões de euros, tem uma forte componente de "apoio ao investimento empresarial".

"Há mais empresas portuguesas a investir na economia cabo- verdiana, que apresenta cada vez mais perspectivas, e num país onde a estabilidade política é um exemplo", sublinhou o chefe do governo português.

A cooperação económica e empresarial foi também destacada por José Maria Neves, que manifestou a pretensão de Cabo Verde de que Portugal seja "o principal investidor no país, nas diferentes áreas".

"Cabo Verde quer ainda ser a porta de entrada para África e que Portugal ajude a abrir essa porta", disse.

Questionado pela Lusa sobre se Cabo Verde está preparado para a redução de ajuda internacional na sequência de ter abandonado recentemente o patamar dos Países Menos Avançados, José Maria Neves referiu que essa transição "está a ser preparada nas discussões internacionais", acrescentando que "há cuidados a ter com as dificuldades que surgirão".

"O objectivo é centrar a cooperação não apenas no apoio ao desenvolvimento mas apresentar proposta para a parceria com empresas privadas", tal como já está previsto no novo programa de cooperação com Portugal.

Neste sentido destacou a presença em Cabo Verde de grandes empresas portuguesas como a Caixa Geral de Depósitos, a EDP, a Galp ou a Portugal Telecom, mas realçou que há outras oportunidades de investimento, nomeadamente nos sectores do "turismo, financeiro e cultural".

Quanto às pretensões de Cabo Verde de obter um estatuto especial junto da UE, José Maria Neves admitiu que "não é um processo fácil", mas referiu que o governo cabo-verdiano está já "a dar passos nesse sentido".

"Temos um acordo de cooperação cambial com Portugal, o que permite a paridade com o euro e, no futuro, pretendemos uma circulação paralela no país do euro com a moeda cabo-verdiana", explicou.

Além deste aspecto, o chefe do governo cabo-verdiano afirmou que o país aplica "os critérios de convergência da UE para a gestão das finanças públicas", e políticas de segurança e ordem pública com vista a uma futura "cooperação com a NATO".

José Maria Neves destacou que nestas matérias conta com o "sólido apoio de Portugal" e elogiou Santana Lopes pela "inteligência com que captou as vantagens estratégicas" das relações com Cabo Verde.

Além do programa de cooperação, foi assinada uma declaração conjunta para a criação da universidade pública de Cabo Verde.

Em declarações aos jornalistas após a conferência de imprensa, a ministra da Ciência, Inovação e Ensino Superior portuguesa, Maria da Graça Carvalho, destacou que este acordo prevê apoios concretos na "formação de professores, de investigadores e de pessoal não docente", e "estruturação dos serviços de investigação".

A declaração prevê ainda apoio "à comissão instaladora" da universidade, além de disponibilização de "bibliotecas e revistas", na área científica, explicou a ministra.

Por seu lado, a ministra da Educação de Cabo Verde, Filomena Martins, sublinhou que o "âmbito muito específico deste acordo" permite reunir "todos os requisitos para que se possa avançar no espaço de pouco tempo" para a criação da universidade.

José Maria Neves cumpriu hoje o único dia de visita oficial na deslocação de cinco dias a Portugal, encontrando-se ainda ao final da tarde com o presidente da República, Jorge Sampaio.

O primeiro-ministro cabo-verdiano chegou segunda-feira a Portugal e viajou para Coimbra para uma visita à reitoria da universidade, e encontrou-se com estudantes cabo-verdianos.

A visita prossegue quarta-feira, a título privado, com deslocações ao Bairro da Bela Vista, em Setúbal, onde moram muitos cabo-verdianos, e, à tarde, a outros bairros dos arredores de Lisboa para contactos com a comunidade, nomeadamente Portas de Benfica, Damaia e Cova da Moura.

O dia de quinta-feira é dedicado a encontros com empresários portugueses, nomeadamente responsáveis da Caixa Geral de Depósitos, Portugal Telecom, Sociedade Portuguesa de Negócios e Banco Espírito Santo.

Quinta-feira, José Maria Neves encontra-se ainda com o presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, e com o ex-presidente da República Mário Soares.

No último dia, sexta-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano viaja para o Porto, onde tem previstos encontros com o presidente da Câmara Municipal, Rui Rio, com o presidente da Agência Portuguesa de Investimentos, Miguel Cadilhe, e com o Presidente da Associação Empresarial Portuguesa, Ludgero Marques.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem