As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
«Nunca abandonei a vida política», diz Kumba Ialá
- 17-Dec-2004 - 18:14


O ex-presidente guineense Kumba Ialá fez hoje um mini-comício popular à porta da sua residência, num bairro de Bissau, referindo que nunca saiu da vida política e que tenciona candidatar-se às próximas eleições presidenciais.


No seu estilo peculiar, em que não faltou o já tradicional gorro vermelho, Kumba Ialá garantiu a cerca de três centenas de populares do sector de Ingoré, interior norte da Guiné-Bissau, que nunca saiu da vida política.

Em declarações aos jornalistas e questionado pela Agência Lusa se tenciona concorrer às presidenciais, Kumba Ialá remeteu para "os militantes" do Partido da Renovação Social (PRS, força política que fundou em 1991) a decisão final sobre uma eventual participação nas eleições presidenciais, previstas para meados de 2005.

"Essa pergunta deve ser colocada aos militantes do meu partido. A decisão também pertence aos dirigentes do PRS", respondeu Kumba Ialá, que não faz parte actualmente de nenhum órgão interno dessa força política, a maior da oposição na Guiné-Bissau.

Sobre a possibilidade de vir a candidatar-se à liderança do partido que fundou, Kumba Ialá limitou-se a responder à Lusa que tal assunto constitui uma "questão interna do PRS".

Quanto ao seu estado de saúde, que muitos em Bissau consideram debilitado, o antigo chefe de Estado guineense afirmou estar fisicamente "bem disposto", mandando recados aos que dizem o contrário.

"Disseram que eu estava doente, que até nem podia andar pelos meus próprios pés. É tudo falso. Eles estão doentes. Que fiquem a saber que vou viver mil anos. Vou sobreviver a todos eles", disse Ialá.

Ainda a propósito do seu estado de saúde, Kumba Ialá disse que algumas figuras do seu partido, que não especificou entretanto, tentaram que ele fosse "descansar" em Marrocos, fazendo-lhe ver que estava doente.

"Como é que um filho de camponeses e pastores pode ir descansar num país estrangeiro, eu até nem estou cansado. Isso não é brincar com a consciência dos outros. Vou mas é descansar na minha ®tabanca¯ (povoação) se um dia tiver de descansar", declarou.

Desde que foi deposto da presidência da República, através de um golpe de Estado militar em Setembro de 2003, esta foi a primeira vez que Kumba Ialá falou publicamente aos seus apoiantes.

Questionado sobre o significado desta visita de populares de Ingoré, Kumba Ialá disse que se tratou de uma "manifestação de solidariedade e da razão" e da "força inquebrantável do PRS".

Expressando-se já em francês e inglês para os jornalistas estrangeiros presentes, Kumba Ialá disse que não conhece nenhum candidato no seio do PRS que lhe possa fazer-lhe frente em qualquer embate.

"Não conheço nenhum candidato no meu partido que me possa fazer frente. Apenas o "Nino" Vieira é que me pode fazer frente", afirmou Ialá sem especificar qual é o embate em que vê o antigo presidente guineense, actualmente exilado em Portugal, como potencial adversário.

Dirigindo-se ao actual governo do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Kumba Ialá enviou mais um recado, sublinhando que está atento "às manobras do grupinho instalado no poder".

"Que fiquem sabendo que estamos aqui e atentos. Nunca hão de conseguir vender este país, a não ser que regressem com os seus antigos patrões para a terra de onde vieram", avisou Kumba Ialá, numa alusão implícita ao governo do primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior e à visita que efectua a partir de hoje a Portugal.

De acordo com o antigo chefe de Estado guineense, o "grupinho instalado no poder" até já estará a sonhar com a venda do petróleo da Guiné-Bissau, mas, avisou, tal pretensão "jamais será concretizada".

"Já estão a sonhar com a venda das nossas riquezas, petróleo inclusive, mas isso jamais acontecerá porque essas riquezas são do povo da Guiné-Bissau", afirmou Kumba Ialá.

Ao finalizar o seu mini-comício, Kumba Ialá disse que oferecia duas vacas para a comida dos seus "hóspedes de Ingoré", que chegaram a Bissau com quatro horas de atraso relativamente ao horário previsto.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem