As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Kumba Ialá promete entrar na campanha eleitoral
- 10-Jan-2003 - 18:30

O presidente da República da Guiné-Bissau, Kumba Ialá, disse hoje num comício popular que vai entrar na campanha eleitoral das legislativas antecipadas marcadas para 20 de Abril próximo.

Ialá justifica a entrada na corrida eleitoral pelo facto de ser "militante" e, embora não tenha feito referência ao partido em que milita, é sabido que o Chefe de Estado guineense é membro do Partido da Renovação Social (PRS), que fundou em 1992.

O PRS esteve no governo nos últimos três anos, até 14 de Novembro de 2002, data em que Kumba Ialá dissolveu o Parlamento, provocando a queda do executivo e subsequente antecipação das eleições legislativas.

"Se o PRS tivesse ganho com maioria absoluta o povo estaria agora a constatar que o país estava melhor", disse Kumba Ialá, pondo fim às dúvidas sobre qual o partido que terá o seu apoio.

O PRS ganhou as eleições de 1999 com maioria relativa, obtendo 38 deputados num universo de 102.

Kumba Ialá justifica a sua entrada na campanha com um périplo que fará pelo país para "explicar ao povo o que se está a passar", nomeadamente sobre as razões da dissolução do Parlamento, da nomeação de um governo de gestão e do porquê da convocação das eleições antecipadas.

No comício, Kumba Ialá criticou o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e lançou a suspeição de que "existem documentos sobre o líder do PAIGC - Carlos Gomes Júnior".

"Quando chegar a altura de abrir o livro...hummm", disse, sem outros pormenores.

O chefe de Estado guineense referiu-se em seguida ao "neo-colonialismo", afirmando que "aqueles que têm compromissos com os portugueses - sem explicar - podem começar já a ir para Portugal".

Recordando a saída de milhares de pessoas de Bissau, por via marítima, durante a guerra de 07 de Junho de 1998, Ialá afirmou que desta vez, "se houver uma nova guerra", aqueles que disserem que são portugueses para poderem ir embora "levarão com bazucada em cima".

Kumba Ialá fez estas declarações durante um encontro- comício com populares de vários bairros de Bissau e de localidades do interior, que se deslocaram à Presidência da República para apresentação de cumprimentos de Ano Novo.

Os populares presentes, na esmagadora maioria da etnia Balanta, a de Ialá, foram agraciados com quatro vacas, 40 caixas de sumos, 40 de vinho e 40 de cerveja para a realização de uma festa.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem