As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
PAICV assume importância do
- 13-Jan-2003 - 19:10

Pela primeira vez desde 1991, o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), no poder, reconheceu hoje, claramente e pela voz do seu líder, a importância do "13 de Janeiro" na história do arquipélago.

O "13 de Janeiro", feriado nacional hoje comemorado, é o aniversário das primeiras eleições multipartidárias no arquipélago, de que o partido agora liderado por José Maria Neves, actual primeiro-ministro, saiu derrotado a favor do Movimento para a Democracia (MpD).

O feriado foi instituído por este partido, que esteve no poder até Janeiro de 2001, e que transformou a data num "marco da luta do povo cabo-verdiano pela liberdade", o que sempre mereceu as reservas do PAICV, devido à exclusividade do protagonismo reivindicado pelo MpD em relação à efeméride.

Exemplo disso foi a retirada recente da agenda dos trabalhos da Assembleia Nacional, por falta de consenso sobre a matéria, de uma proposta de lei sobre os feriados nacionais, através da qual o governo, apoiado pelo PAICV, pretendia eliminar da lista o 13 de Janeiro - Dia da Liberdade e Democracia.

A assunção da efeméride por José Maria Neves aconteceu durante uma cerimónia de apresentação de novos equipamentos destinados ao Projecto de Resíduos Sólidos Urbanos da Cidade da Praia, marcada para hoje por ser "um dia especial", de acordo com o presidente da edilidade.

No seu discurso, o primeiro-ministro referiu-se ao "13 de Janeiro" como o dia em que "o PAICV organizou as primeiras eleições multipartidárias em Cabo Verde", acrescentando que os cabo-verdianos puderam "transformar cada um dos 12 anos passados num símbolo de democracia e liberdade".

Nesse processo de edificação da democracia, observou José Maria Neves, o PAICV foi e continua a ser "um pilar fundamental", mas esse protagonismo também é reivindicado pelo MpD, existindo entre os dois partidos uma luta acérrima de protagonismo em relação à efeméride.

Evocando o passado, o governante destacou o facto de, em 1991, os cabo-verdianos "terem decidido" colocar o MpD no poder e o PAICV na oposição, numa "escolha clara que não podia ser contestada".

"Foram estes dois partidos, um no poder e o outro exercendo a oposição, que trabalharam para a consolidação da democracia e da liberdade", observou José Maria Neves, referenciando igualmente o facto, também relevante no seu entender, de o povo cabo-verdiano ter "invertido a sua escolha, 10 anos depois".

Usando a linguagem bíblica e a simbologia do número 12, o presidente do PAICV considerou que, "12 anos depois, os cabo- verdianos souberam transformar cada um dos anos passados num apóstolo da democracia e da liberdade".

Por isso, defendeu José Maria Neves, a democracia em Cabo Verde é hoje "um processo irreversível", podendo-se dizer, na sua opinião, que "cada cabo-verdiano colocou uma pedra para a construção do edifício da democracia, que não ruirá porque pôde contar com bons engenheiros e arquitectos".

O discurso de José Maria Neves aparece como um exercício de conciliação em relação a certos aspectos do percurso democrático cabo-verdiano, de que o "13 de Janeiro", visto como um dos seus símbolos mais importantes, sempre foi, até agora, objecto de dissenção entre o PAICV e o MpD.

A ideia de reconhecimento e assunção do "13 de Janeiro" parece ser partilhada por outras figuras importantes do partido no poder, como o presidente da Câmara Municipal da Praia, Felisberto Vieira.

Ao intervir hoje na cerimónia de apresentação dos novos equipamentos do Projecto de Resíduos Sólidos Urbanos, aquele autarca e dirigente partidário confessou que a escolha do "13 de Janeiro" "não foi à toa, uma vez que se trata de uma data importante para todos os cabo-verdianos".

Os equipamentos hoje apresentados em cerimónia pública, na Praça 12 de Setembro, consistem em camiões de recolha e compactação de lixo urbano, além de meio milhar de contentores metálicos, oferecidos pela Câmara Municipal de Roterdão, Holanda.

A inauguração do projecto, que deverá contar no futuro com novos apoios holandeses, acontecerá no próximo dia 06 de Fevereiro, durante a visita do burgomestre daquela cidade dos Países Baixos à Cidade da Praia, com cujas autoridades será assinado um acordo de geminação entre as duas edilidades.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem