As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Cabo Verde
Sampaio pede mais empenho na promoção da língua portuguesa
- 18-Apr-2005 - 15:11


O presidente de Portugal, Jorge Sampaio, pediu hoje à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) acções mais criativas e agressivas na promoção e difusão do português, principalmente em países fora do espaço lusófono.


Durante uma visita à sede da organização, em Lisboa, Jorge Sampaio considerou a língua portuguesa como um "instrumento de afirmação internacional" dos países-membros da CPLP, defendendo por isso uma "acção concertada e sustentada" para a sua valorização e promoção.

"É necessário agir de forma coordenada, criativa, mais agressiva e sustentada no tempo. Por muito que estejamos a fazer, podemos e devemos fazer mais", defendeu.

"Temos de passar à ofensiva também em países terceiros", pediu o presidente, sugerindo que "devem ser feitas campanhas não apenas de oferta mas que suscitem também a procura do ensino do português".

Neste sentido, o chefe de Estado considera "vital" a aposta na produção de materiais didácticos e no reforço da imagem multifacetada da língua portuguesa. Além da referência à língua portuguesa como um dos principais pilares da CPLP, Jorge Sampaio destacou a actuação da comunidade na área político-diplomática dando como exemplo a mediação de crises como as que se têm registado na Guiné-Bissau.

A CPLP assumiu o papel de mediadora na sequência do golpe de Estado de Setembro de 2003 e da sublevação militar de Outubro último e pretende enviar em breve um representante permanente para Bissau, além de uma missão de observadores às próximas eleições presidenciais, marcadas para 19 de Junho.

"Faço votos para que a instalação de um observador seja rápida, tendo em conta a necessidade de estabilidade democrática e desenvolvimento do país", afirmou o chefe de Estado, alertando que "os tempos próximos vão ser exigentes".

Destacando que a CPLP é uma "prioridade da política externa portuguesa", Jorge Sampaio afirmou que a criação da organização foi uma "decisão estratégica que se traduziu, na prática, na criação de um novo espaço geopolítico".

O presidente destacou ainda o papel da comunidade em projectos de cooperação na luta contra o HIV/SIDA, área em que se envolveu pessoalmente com o lançamento de uma campanha que juntou todos os chefes de Estado dos Oito.

A campanha foi gravada em São Tomé e Príncipe durante a V cimeira de Chefes de Estado e de Governo da organização, em Julho de 2004, e incluía mensagens dos oito presidentes sobre o combate à doença, concretizando-se assim uma proposta apresentada por Sampaio dois anos antes, na cimeira de Brasília.

O secretário-executivo da CPLP, Luís Fonseca, destacou que a acção de Sampaio "não se confinou a um incentivo" à organização, considerando o presidente português como um "paladino da causa da lusofonia, da defesa da língua portuguesa e na chamada de atenção para problemas de países-membros ou a luta contra a SIDA".

Luís Fonseca falou ainda dos projectos da organização, ao nível do reforço da presença internacional da CPLP, nomeadamente através de protocolos com outras instituições, não apenas na área da língua portuguesa mas também em parcerias para o financiamento de projectos. Na visita, Jorge Sampaio esteve acompanhado do ministro dos Negócios Estrangeiros, Diogo Freitas do Amaral, que destacou a disponibilidade deste governo em "fazer uma aposta forte na CPLP", nomeadamente na "concretização dos projectos e programas".

Neste sentido, o ministro anunciou que vai reunir-se na próxima semana com o secretário-executivo da CPLP e com o secretário- executivo adjunto, Tadeu Soares, para "analisar os programas e projectos em curso, bem como as medidas a tomar".

Durante esta visita, Jorge Sampaio falou com os embaixadores dos Oito, numa reunião extraordinária do Comité de Concertação Permanente.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Web Design Portugal Algarve por NOVAimagem