Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em todo o mundo de lingua portuguesa
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Entrevista
O 4 de Fevereiro, uma das datas da Libertação Nacional
- 4-Feb-2009 - 11:27

Politicamente ainda há quem determine o 4 de Fevereiro (de 1961) como a única data do início da luta de Libertação Nacional e do Nacionalismo Angolano. E as celebrações oficiais que vão ocorrer por esta data assim o mostram e reforçam.


É altura, 6 anos, quase 7, que passam desde que a Paz chegou a Angola que os partidos políticos deixem de guardar algumas datas como partidonacionais e as aceitem, em definitivo, como datas verdadeiramente nacionais, ou seja, de todo o Povo Angolano celebrando-as, não como datas partidocráticas, mas como datas unificadoras da Nação.

O 4 de Fevereiro e o 15 de Março de 1961, o 13 de Março de 1966 aliados ao 4 de Janeiro de 1960 devem formar as 4 grandes datas de Libertação Nacional. A elas, podem – devem – ser aliançadas as datas de 22 de Fevereiro e 4 de Abril (de 2002) e 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional.

Que privadamente os partidos o façam, até se aceita. Mas devem se restringir, unicamente, aos seus locais e celebrações partidárias.

No global, estas datas devem ser recordadas – seguindo o modelar exemplo dos santomenses quanto às celebrações do massacre de “Bate Pá” – como festas de União dos angolanos e não como celebrações partidárias, por vezes de forma abusiva e menos correcta, como a História já o comprovou

Recorde-se que o acto libertador, que é o 4 de Fevereiro, partiu não de um partido mas de um grupo de angolanos liderados ou, pelo menos inspirados, no Monsenhor-Cónego Manuel das Neves, missionário da arquidiocese de Luanda; sobre este assunto porque não recorrer a uma interessante entrevista, publicada no Notícias Lusófonas, e concedida por Jaime Araújo Júnior a Jorge Eurico, em Fevereiro de 2007; (http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=16322&catogory=Manchete) de recordar que o entrevistado é uma personalidade que conviveu, de perto, com alguns dos mentores da revolta.

Muito se tem escrito sobre as estórias da história do 4 de Fevereiro e muito mais se vai continuar a escrever enquanto a mesma não deixar de ser aproveitada partidariamente.

Vamos, de uma vez, colocar as quatro grandes datas do Nacionalismo Angolano no seu lugar próprio. No calendário nacional panteânico do Povo Angolano.

Vamos, de uma vez, colocar a História no seu lugar e dar oportunidade ao Povo Angolano de a honrar bem assim os nossos Heróis, mas fazendo-o em nome da verdade histórica e unificadora.


3/Fev./2009
elcalmeida@gmail.com
http://elcalmeida.net


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Construção de Sites Algarve por NOVAimagem