Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em todo o mundo de lingua portuguesa
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Entrevista
Recolhidas mais de 50 mil armas no processo de desarmamento de civis
- 16-Apr-2009 - 17:38


O processo de desarmamento da população civil completou hoje um ano e nesse período foram recolhidas mais de 50 mil armas com destaque na entrega de armas as províncias da Huíla, Luanda, Huambo, Benguela e Lunda Norte.


Para assinalar a data foi realizado um fórum sobre “Gestão e Controlo de Armas e Munições”, presidido pelo Primeiro-Ministro angolano, Paulo Cassoma, no qual também participam vice-governadores provinciais, membros das comissões técnicas e especialistas brasileiros.

O Primeiro-Ministro angolano disse, no discurso de abertura, que o seminário é realizado numa altura em que o país também comemora sete anos de paz, alcançada a 04 de Abril de 2002, realçando que durante este tempo nunca houve necessidade de se recorrer às armas para a resolução de diferenças.

“Nestes sete anos que as armas se calaram, apesar das dificuldades que ainda vivemos, passamos muito bem sem o recurso a elas para resolver diferenças políticas ou de opinião”, frisou Paulo Cassoma.

O segundo comandante-geral da Polícia Nacional de Angola e coordenador da Comissão Nacional para o Desarmamento, Paulo de Almeida, em entrevista à Angop disse que a recolha de armas criou na população “um impacto positivo no sentimento de segurança”.

Segundo Paulo de Almeida, um dos aspectos notáveis desta acção de desarmamento está ligado à redução de crimes cometidos com o recurso às armas de fogo, com o aumento das agressões feitas com armas brancas.

O processo de desarmamento da população civil, a ser implementado em dois anos, teve duas fases, sendo a primeira de entrega voluntária, passando depois para a de recolha coerciva, ao mesmo tempo que a espontânea.

O coordenador referiu ainda que no segundo ano o programa incidiu a sua acção sobre a organização e fiscalização da utilização de armas de fogo, como a revisão de alguma legislação sobre o porte e uso de armas e a lei das empresas de segurança privada.

Ainda no âmbito do programa de recolha de armas, começou já no ano passado o processo de destruição de armas obsoletas, tendo o arranque das actividades sido dado nas províncias de Luanda, Huambo e Huíla.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Construção de Sites Algarve por NOVAimagem