Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em todo o mundo de lingua portuguesa
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Entrevista
Ex-soldado indonésio acusado de ter assassinado jornalista em Balibó nega
- 30-Mar-2010 - 15:40


O ex-soldado indonésio acusado de ter apunhalado e assassinado um jornalista australiano em Balibó, Timor-Leste, em 1975, nega ter qualquer envolvimento no caso e diz que pretende até voltar a Díli.


Christoforus da Silva confirma, numa entrevista a um jornal australiano, que participou nos combates em Balibó, em Outubro de 1975, mas diz que só percebeu "que os jornalistas estavam lá quando o combate acabou".

Os jornalistas Brian Peters, Gary Cunningham, Malcolm Rennie, Gregory Shackleton e Anthony Stewart terão sido assassinados nesse dia e os seus corpos queimados, por terem sido descobertos por tropas indonésias quando filmavam o ataque e massacre em Balibó.

Um inquérito sobre a morte de Brian Peters conduziu a Christoforus da Silva, que alegadamente o terá esfaqueado para impedir a divulgação das imagens, mas o ex-soldado indonésio, que vive em Timor Ocidental, nega as acusações e diz que pretende até voltar a Timor-Leste, onde uma das filhas trabalha num departamento do Governo.

Christoforus da Silva disse, na entrevista feita por telefone, que nem conhecia essa acusação e que "é uma mentira".

"Atravessámos a fronteira e chegámos a Balibó cerca das 5h30 da manhã. Houve combates durante cerca de uma hora e ocupámos Balibó. Não vi nenhum branco durante todo esse tempo. Só depois, quando já estávamos na cidade, é que alguém de Jacarta entrou em contacto connosco para nos dizer que tinham estado lá cinco jornalistas".

A polícia federal australiana tem em curso, desde Agosto de 2009, uma investigação de crimes de guerra para determinar a circunstância das mortes dos jornalistas.

A investigação está a seguir indícios encontrados e denunciados pelo magistrado Dorelle Pinch.

Uma alegada testemunha de Pinch, um timorense chamado Olandino Guterres que participou no combate, identificou Christoforus da Silva como tendo esfaqueado "um homem branco, com cabelo ruivo", uma descrição que corresponde a Brian Peters, quando este saía, forçado, do esconderijo onde os soldados indonésios o detetaram.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Construção de Sites Algarve por NOVAimagem