Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em todo o mundo de lingua portuguesa
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Entrevista
«Povo deve decidir sobre mudança de símbolos»
- 20-Aug-2003 - 9:36

O Comité Inter-eclesial para a paz em Angola (COIEPA) defende uma consulta popular sobre a revisão dos símbolos nacionais, segundo informação prestada, em Luanda, pelo secretário executivo da organização, Ntony Nzinga.


Em entrevista à Rádio Nacional de Angola (RNA), o responsável considera "indispensável" ouvir o pensamento do povo sobre a revisão ou manutenção dos símbolos da República.

"A nossa posição é que a decisão sobre estes elementos de grande importância que devem reflectir as aspirações do povo, não deve se limitar à Comissão em si ou ao próprio Parlamento, mas envolver uma grande consulta", afirmou o Reverendo.

Para si, os futuros símbolos do país devem reflectir o interesse de todo o povo. "Eles (deputados) estabeleceram regras, nas quais especialmente a bandeira não deve se aproximar às cores de um partido político", afirmou, referindo que "todos esses símbolos não devem ser aprovados em vão, mas exprimir o que o povo quer".

Por outro lado, o Reverendo considerou "muito difícil" que antes de Dezembro de 2004 se realizem eleições "livres e justas" de facto, independentemente dos esforços que sejam desenvolvidos.

"As pessoas podem falar, mas não é realista, pois o conselho nacional eleitoral a ser nomeado, não sei quando, precisará não menos de três meses para poder se instalar", afirmou o Reverendo Ntony Nzinga, tendo referido ser necessário tempo suficiente para preparar as eleições.

"Não vamos começar por apontar a data das eleições, mas por criar as condições que a lei exige", afirmou, acrescentando que as condições serão definidas por esse conselho. "É esse conselho que deve nos dizer o que o país necessita para as eleições, a data será determinada pela avaliação que ele (conselho) fizer", realçou a entidade religiosa.

O Comité Inter-eclesial para à paz em Angola foi proclamado em Abril de 2000, no âmbito de uma participação activa da Igreja na procura de soluções dos problemas do género no país.

Integrado por três instituições eclesiásticas, o COIEPA tem igualmente como objectivos a dinamização da intervenção da Igreja como comunidade de fé na busca da paz duradoura.

Integram esse Comité a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), o Conselho das Igrejas Cristãs de Angola (CICA) e a Aliança Evangélica de Angola (AEA).


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Construção de Sites Algarve por NOVAimagem