Anuncie no Noticias Lusofonas e promova a sua empresa em todo o mundo de lingua portuguesa
           As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 toda a lusofonia aqui
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Entrevista
Acções de desminagem encontraram 79 tipos de minas, de 21 países
- 18-Nov-2004 - 12:39


Os trabalhos de desminagem realizados em Angola já permitiram encontrar 79 tipos diferentes de minas, oriundas de 21 países, revelou o director-geral adjunto do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), Araújo Kapapelo Nunda.


"A ex-União Soviética e os antigos países do leste europeu dominam totalmente a lista das 10 minas anti-pessoais e anti-tanque mais encontradas em Angola", afirmou o responsável do INAD.

Kapapelo Nunda salientou, no entanto, que "o grosso (dos engenhos explosivos encontrados) veio da antiga União Soviética e da África do Sul, do tempo do 'Apartheid'".

As estatísticas do instituto revelam que a ex-URSS é responsável por 18 tipos de engenhos encontrados em Angola e a África do Sul por outros 13, seguindo-se os Estados Unidos (7), a ex- Jugoslávia (6) e a China (4).

O Instituto Nacional de Desminagem estima que ainda existam em Angola entre cinco e sete milhões de minas, colocadas ao longo de quatro décadas de conflitos armados no país.

"Pelas pesquisas que fizemos, os objectos detectados e a experiência de desminagem efectuada, pensamos haver em Angola entre cinco e sete milhões de minas", afirmou aquele responsável do INAD numa entrevista concedida ao jornal Apostolado, uma publicação on-line ligada à Igreja Católica angolana.

Kapapelo Nunda frisou que não há registo de colocação de novas minas nos últimos dois anos, desde que foi assinado o acordo de paz entre o governo e a UNITA, pelo que todas as minas existentes foram enterradas durante os vários conflitos armados que o país viveu.

"O exército colonial, os três movimentos de libertação (FNLA, MPLA e UNITA), os cubanos, os sul-africanos, as forças governamentais, cada um destes actores, segundo o período, minou o território angolano", afirmou.

O INAD tem actualmente identificados 4.222 campos de minas, dos quais já foram limpos 1.484, restando ainda 2.737 por desminar em todo o território angolano.

"O campo significa uma área determinada, suspeita de possuir minas plantadas no solo, não corresponde a um perímetro com superfície e quantidade de minas padronizadas", explicou, acrescentando que "há campos maiores e menores em extensão, com muitas ou poucas minas".

Nas acções de desminagem já realizadas, o INAD conseguiu desactivar e destruir cerca de 36 mil minas anti-pessoais, 2.500 minas anti-tanques e 1,3 milhões de outros objectos explosivos não detonados, como bombas, granadas e munições.

A superfície já desminada em Angola é superior a 2,2 milhões de quilómetros quadrados, tendo sido também já limpos mais de 104 mil quilómetros de estradas.

Os dados mais recentes referem que os trabalhos de desminagem realizados entre Janeiro e Junho deste ano permitiram remover 2.168 minas anti-pessoal e 613 minas anti-tanque.

No entanto, apesar dos esforços desenvolvidos nesta área, foram registados nos primeiros seis meses deste ano 37 acidentes com minas, que provocaram 29 mortos e 49 feridos.

No início de Setembro, o governo angolano apresentou o Programa de Acção contra as Minas para 2005, orçado em 88,1 milhões de dólares, que inclui 231 projectos de desminagem, educação e assistência às vítimas.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Construção de Sites Algarve por NOVAimagem